Em Maceió, Santana e Palmeira, produtores adquirem mais de 3,3 milhões de quilos de milho para os animais

08 nov 2012 - 23:27

Os produtores rurais já adquiriram da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mais de 3,3 milhões de quilos de milho para alimentar os animais e, assim, garantir a produção de leite nos 36 municípios com decreto de situação de emergência por conta da estiagem. O repasse de milho pela Companhia é praticado num preço abaixo do mercado e faz parte das ações de combate aos efeitos da seca. Segundo o superintendente da entidade em Alagoas, Elizeu Rego, os armazéns de distribuição ficam em Maceió, Palmeira dos Índios e Santana do Ipanema.

“Pretendemos instalar mais armazéns em Delmiro Gouveia e Arapiraca”, disse Elizeu Rego, durante reunião do Comitê Integrado de Combate à Seca, nesta quinta-feira (8).

Para os criadores que possuem até 40 animais, cada saca de 60 quilos de milho é repassada por R$ 18,12; para quem possui entre 41 e 120 animais, a saca custa R$ 22; e para quem tem mais de 120 animais, a saca pode ser adquirida na Conab por R$ 24,60.

Abastecimento d’água – Durante a reunião do Comitê, foram definidas ações emergenciais para abastecimento d’água de comunidades rurais do município de Quebrangulo. Também foi destacado o aumento no número de parcelas do Bolsa Estiagem e do Garantia Safra, anunciado pela presidenta Dilma Rousseff no começo desta semana.

“Esses recursos amenizam um pouco a situação dos agricultores familiares, por isso, é muito importante essa sensibilidade do Governo Federal”, comentou o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, José Marinho Júnior.

Segundo ele, o Comitê Integrado de Combate à Seca deverá se tornar um comitê permanente, passando a se chamar Comitê Integrado de Convivência com a Seca. “Nós vamos levar essa sugestão adiante, pois a seca é algo que ocorre sempre em nosso Estado, às vezes com mais intensidade. Temos que destacar também que algumas ações coordenadas pelo Comitê são estruturantes, como a limpeza de açudes e barragens e a recuperação de nascentes, por exemplo”, destacou o secretário.

Assessoria

Comentários