Em férias escolares, cuidados preventivos contra queimaduras são fundamentais, alertam especialistas

10 jan 2013 - 15:36

Foto: Divulgação

Para evitar que o divertimento das férias das crianças se transforme numa tragédia, alguns cuidados devem ser tomados nas residências e nos passeios em família. Segundo a médica Viviane Ferro, do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Geral do Estado (HGE), a cozinha merece alerta especial.

Isso porque as queimaduras mais graves são provocadas por fervuras de líquidos quentes como água, café, leite e óleo. Atitudes simples como não direcionar o cabo da panela para fora do fogão, podem impedir esbarrões e prováveis queimaduras.

“Quem tem criança em casa sabe que todo cuidado é pouco. O perigo pode estar na tomada de luz ou na panela em cima do fogão. Para impedir os choques elétricos, é indicada a colocação de dispositivos que fechem as tomadas e orientar os pequenos sobre os riscos de brincar perto de fios da rede elétrica”, explicou a médica.

Também deve ser observado o uso adequado do protetor solar em ambientes abertos, como praias e piscinas, visto que as queimaduras de primeiro grau são causadas, geralmente, por excesso de exposição ao sol. Por isso, ao comprar o protetor solar, os pais devem estar atentos ao número do Fator de Proteção Solar (FPS) mencionado no rótulo do produto, que identifica o grau de proteção oferecida.

“O ideal é utilizar no mínimo o FPS 15, independente da cor da pele. Também é importante lembrar-se de passar protetor nas orelhas, no pescoço, nariz, nos pés e nas mãos”, detalhou Viviane Ferro.

Queimaduras – “Nenhuma pomada ou qualquer medicamento deve ser aplicado em queimaduras sem prescrição médica. O mesmo vale para creme dental, gelo, café, e outros produtos que não passam de lendas quando o assunto é tratamento de queimaduras”, garante a profissional.

O médico cirurgião plástico do CTQ, Thyago Carvalho, orientou aos pais que, caso algum familiar venha a se queimar, o ideal é lavar a área do corpo afetada com água corrente e enrolar com uma toalha limpa. Logo em seguida, procurar ajuda médica. Se a queimadura for muito extensa, deve-se pedir socorro ao Samu imediatamente, através do telefone 192 e dirigir-se ao Hospital Geral do Estado, referência nesses casos.

Gravidade – As queimaduras são classificadas conforme a profundidade com que atingem a pele e podem ser de primeiro, segundo ou terceiro graus. A de primeiro grau é a mais simples porque atinge uma camada superficial da pele, provocando aspecto avermelhado. A pele fica dolorida, mas não há a formação de bolhas.

As bolhas aparecem na queimadura de segundo grau, que são as mais dolorosas. Já as de terceiro grau têm menos dor devido à destruição das terminações nervosas, mas são as mais profundas e graves.

Por Ascom / HGE

Comentários