Editorial de Domingo: O que temos para hoje é falta de comunicação

05 jul 2015 - 02:15

É impressionante o que a falta de comunicação pode gerar em se tratando de episódios que envolvam informações públicas essenciais para uma comunidade. E para comprovar isso a Prefeitura de Santana do Ipanema, em especial o seu representante legal, o prefeito Mário Silva, sentiu o gosto amargo de ter que remediar sua própria confusão, ao não conseguir o básico, que é informar o povo de seus atos.

Em dois fatos ocorridos nesta semana, o gestor da cidade sertaneja se viu “encurralado”, por ter que dar explicações para acontecimentos em que, via de regra, deveriam ter sido antecipados pelo próprio político e sua equipe. Infelizmente, percebe-se que o puxão de orelha da imprensa ainda não foi o suficiente.

Um deles veio à tona após “um furo” propagado pela emissora de rádio, Milênio FM, quando na ultima terça-feira, trouxe a informação do possível adeus do IPAS à administração do Hospital Clodolfo Rodrigues de Melo. A notícia causou um alvoroço para usuários e funcionários daquela unidade, que ficaram aflitos com a dúvida do que iria acontecer a partir daquela data.

Eis que no outro dia aparece a secretária de saúde, Petrúcia Matos e tenta reverter a celeuma. Em uma de suas palavras a servidora, que não por acaso é também fiscal principal do Conselho Gestor do Hospital Regional, disse simplesmente que a Prefeitura iria justamente trazer a informação um dia depois do furo ser descoberto. Seria plausível acreditar, se não fosse pelo fato de que o restante do Conselho Municipal, a qual a secretária também faz parte, se manifestou um dia depois e disse que não tinha conhecimento do posicionamento da Prefeitura, em encerrar o contrato o IPAS.

Se não bastasse ter que lidar com uma dor de cabeça no setor da saúde, entraria em cena um referido Promotor de Justiça e que indagaria o prefeito de Santana: “Ei, você não me falou nada dessa festa?[53ª Festa da Juventude] O que você está fazendo? Como está fazendo? Mostre-nos ou ela pode não acontecer”. O fato desta vez foi levantado pelo site Alagoas na Net, em notícia exclusiva. Mais uma vez vai o prefeito de Santana e sua equipe ao encontro do MP, dar as devidas explicações. Coisa que deveria ter acontecido, sem necessidade da chamada de atenção.

Entretanto, vale muito ressaltar um grande e importante detalhe. Entre o momento da chamada feita pelo MP até as devidas explicações sobre o evento, ocorrida na ultima sexta-feira, não foram poucas as “especulações” e “informações mal interpretadas” [parafraseando aqui o prefeito] propagadas por pessoas e até alguns chamados meios de comunicação, que acabaram confundido a cabeça de muita gente.

Também não foram escassas as reclamações por parte de pessoas sobre a falta de informações oficiais [leia-se do Poder Público] sobre tudo o que iria ou não acontecer na referida festa, que já se tornou tradição, não só na cidade, mas em todo o estado. A confusão seria simplesmente eliminada, caso a própria administração, chamasse para si a responsabilidade de comunicar todos os seus passos em relação aos preparativos da festa, coisa que não se viu nos últimos dias.

Em tempos em que os órgãos fiscalizadores pedem cada vez mais transparência aos políticos e suas ações, alguns dos setores da Prefeitura de Santana [só pra não generalizar] acabam se mostrando cada vez mais obscuros e menos acessíveis ao povo. E é bom dizer que suas assessorias não contribuem para fazer o contrário [observe-se assessoria como entidade e não seus profissionais].

A comunicação e divulgação ampla dos atos políticos de um representante de uma cidade, sejam eles do Executivo ou Legislativo, não são favores criados para satisfazer ou promover A ou B. São informações essenciais que devem ser passadas com o devido respeito. O difícil é conseguir acreditar numa comunicação eficiente, no qual uma administração sequer tem cuidado com seus meios oficiais, vide que, já ficou mais de uma vez registrado, a saído do ar de sua página na internet. Pagina essa, que inclusive deveria trazer as informações atualizadas.

E se não fosse suficiente tanto descaso, apareceu nos últimos dias, mas pouco percebido pelo povo, um novo slogan, adotado pela atual administração. A frase está estampada ao lado da “arte oficial” e até é vinculado em um jingle num dos meios patrocinados pelo Executivo. Assim ele diz: “Minha Santana, eu acredito”. Ao que se parece o atual gestor percebe que a esperança dos santanenses, não na cidade, anda meio em baixa. Porque será?

Comentários