É falso que H3N2 seja novo Coronavírus em pacientes vacinados contra Covid Doenças são causadas por agentes infecciosos diferentes e só podem ser diagnosticadas por exames.

Secom Alagoas

09 jan 2022 - 02:00


Foto: Reprodução

Circula em conversas entre alagoanos a informação de que a gripe causada pelo vírus H3N2 seria a Covid-19 mais leve em pessoas vacinadas contra a doença. Não é verdade. Apesar de haver semelhança entre os sintomas, os agentes infecciosos são distintos e o diagnóstico só é possível com consulta médica e realização de exames.

Com o surto de gripe no país, são muitas as dúvidas que surgem sobre o que, de fato, causa os sintomas das infecções. Uma confusão comum é a afirmação de que a gripe H3N2 seria um efeito do novo coronavírus com sintomas mais leves em pessoas que receberam a vacina contra a Covid-19.

A ideia não procede. As dúvidas são geradas por causa dos sintomas semelhantes, como tosse, febre e dor de cabeça. No entanto, são complicações provocadas por agentes infecciosos diferentes. Enquanto a Covid-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2, popularmente conhecido como novo coronavírus, a gripe causada pelo H3N2 é uma variante da Influenza A, assim como o H1N1.

O H3N2 causa febre alta no início do contágio, dor de garganta, tosse, dor de cabeça, coriza, cansaço, dores musculares, tosse, irritação nos olhos e desconforto no peito. Já a Covid-19, atualmente manifestada em grande parte pela variante ômicron, costuma afetar o olfato e causar cansaço e tosse de forma mais intensa, além de outros sintomas que também estão presentes em infecções por H3N2.

A infectologista Sylvia Hinrichsen, coordenadora do Núcleo de Ensino Pesquisa e Assistência em Infectologia (NEPAI) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), explica que a diferença está na intensidade e duração dos sintomas. “Os sintomas de Covid-19 ficam mais intensos à medida que o tempo passa e podem ser persistentes, dependendo do sistema imunológico da pessoa, enquanto que no caso da H3N2 os sintomas são mais intensos nas primeiras 48 horas, melhorando ao longo do tempo, e costumam durar até 10 dias”, informou.

É possível também ocorrer a infecção simultânea com Influenza e Covid-19. O estado de Alagoas registrou três casos de “flurona”, como tem sido chamada a múltipla infecção.

Além disso, ainda há o resfriado que apresenta sintomas semelhantes, mas que é provocado por outros tipos de vírus, como o rinovírus e o vírus sincicial respiratório, como informou a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau). Neste caso, os sintomas são mais leves, como coriza, espirros, congestão nasal e febre menos intensa do que influenza, não sendo comum o surgimento de febre e outras complicações.

As formas de prevenção continuam sendo as mesmas para todos os casos, como o uso de máscara, o distanciamento social e a constante higienização das mãos, já que os meios de transmissão são os mesmos.

No caso de sintomas, o diagnóstico só é possível após atendimento médico e realização de exames. “Estamos vivendo um surto de influenza junto com a pandemia do novo coronavírus e os sintomas podem ser semelhantes, então peço para que a população fique atenta aos cuidados e procure a unidade de saúde mais próxima, caso seja necessário”, destaca o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres.

Alagoas Sem Fake

Com foco no combate à desinformação, a editoria Alagoas Sem Fake verifica, todos os dias, mensagens e conteúdos compartilhados, principalmente em redes sociais, sobre assuntos relacionados ao novo coronavírus em Alagoas e outros temas. O cidadão poderá enviar mensagens, vídeos ou áudios a serem checados por meio do WhatsApp, no número: (82) 98161-5890. Clique aqui para enviar agora.

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.