Dores no pescoço e na coluna? Atenção para a Discopatia Degenerativa

10 abril 2022


Foto: Anastasia Gepp / Pixabay

É importante a gente falar de temas que a gente tem visto do dia-a-dia. E no Centro Médico Hebrom recebemos pessoas com reclamação de cefaleia, dor de cabeça e principalmente dores forte no pescoço e também na coluna. Por isso, o tema de hoje é a Discopatia Degenerativa. Para quem ainda não ouviu falar, trata-se da condição em que os discos entre as vértebras perdem o amortecimento, se fragmentam e criam hérnias relacionadas ao envelhecimento.

A coluna vertebral é separada em três níveis: a cervical, torácica e lombar. Importante a gente fazer o diagnóstico preciso, as pessoas que chegam aqui com dor na coluna, às vezes ela não diz que está com dor na coluna. Às vezes é uma ânsia de vômito é o mais mal estar, é uma cefaleia, é uma fraqueza às vezes muscular, é dores nos membros superiores e inferiores já que as discopatias cervicais, lombares e torácicas irradiam para os membros.

Quando a pessoa tem aquela rigidez no pescoço, nos ombros e fica com aquela contratura, aquela contração e é muito desconfortável e é preciso a gente fazer um exame específico. A gente aqui faz o raio X, as vezes pede também uma tomografia e por último caso a ressonância. Mas sempre começando com o raio X pra gente verificar se tem alguma desidratação da vértebra, se tem algum tipo de hérnia de disco.

Em nossa empresa já estamos fazendo um projeto pra incorporar a ginástica laboral na rotina dos trabalhos. Ela é a responsável para preparar o trabalhador para o dia-a-dia. As vezes o trabalhador vem travado, vem com a parte da musculatura rígida, a própria coluna ainda não tá solta e uma ginástica laboral de vinte a trinta minutos é excelente pra se trabalhar leve e solto no do dia-a-dia.

Quando estão em seus trabalhos, as pessoas ficam muito tempo em pé ou ficam muito tempo sentada. Essa postura repetida, esse tipo de posição em que a pessoa fique em seu trabalho, termina levando uma postura errada, errônea e essa postura errada acaba afetando a coluna, tanto a coluna e torácica. Levando a dores de cabeça, desconforto e ao mal-estar.

Acontece casos em que a discopatia pode ficar degenerativa, resultando em uma fibrose. Isso leva a redução do espaço intervertebral (que é de um disco pra outro da coluna), diminuição da espessura do disco, a válvula e os chamados osteófitos (formação óssea que se desenvolve na extremidade de um osso) que muita gente conhece que é o bico de papagaio na coluna.

Eu sempre digo que eu tenho um exercício na academia que se faz que é a lombar. Esse exercício ele ajuda muito. Junto também as vezes eu indico a quiropraxia que é de fundamental importância e alguns analgésicos. Contudo, o mais interessante é que haja acompanhamento de um médico, para que não se tome um anti-inflamatórios, ou qualquer outro medicamento por um longo prazo.

Os anti-inflamatórios tem tempo curto de você administrar, dois ou três dias, mas existem tem pessoas que tomam anti-inflamatório pra vida toda, trazendo um enorme risco além como gastrite, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, entre outros problemas.

A gente sempre tem indicado e os pacientes tem tido efeito muito bom, tratar a dor, não só com medicamentos, mas também com correção da postura. Então, a dica hoje é você ter um diagnóstico correto dessa discopatia, que é essa dor no pescoço e pode se estender na coluna.

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.