Documentário sobre crime histórico da Braskem reestreia com legendas em inglês Carlos Pronzato, diretor do filme, estará na capital alagoana, junto do MUVB, para um debate sobre o caso; a exibição é gratuita e acontecerá na segunda-feira (20), às 19h, no Centro Cultural Arte Pajuçara

18 set 2021 - 21:11

Carlos Pronzato, diretor do documentário, e Alexandre Sampaio, ativista alagoano (da esq. para a dir.) (Foto:: Divulgação)

Na próxima segunda-feira (20), o cineasta argentino Carlos Pronzato estará em Maceió ao lado das lideranças do Movimento Unificado das Vítimas da Braskem (MUVB) para a reestreia do documentário “A Braskem passou por aqui: a catástrofe de Maceió” — agora, legendado em inglês.

Prevista para acontecer a partir das 19h, com entrada gratuita, no Centro Cultural Arte Pajuçara, a exibição do longa-metragem, que já foi assistido por quase 40 mil pessoas no YouTube, será sucedida de um bate-papo com o diretor e os membros do MUVB, que vislumbram a possibilidade de repercutir internacionalmente o maior crime socioambiental em curso no planeta. A entrada acontecerá por ordem de chegada e as salas estarão limitadas a 80 lugares em função da pandemia.

“Com a reestreia do documentário, nós queremos abrir os olhos e os ouvidos de muita gente ao redor do mundo que não tem consciência do que está se passando em Maceió”, declara Carlos Pronzato. A pré-estreia do filme aconteceu em São Paulo apenas para a imprensa e alguns acadêmicos. Em poucas semanas, a cidade de Maceió — mais especificamente, o bairro do Pinheiro — recebeu a estreia do longa-metragem, da qual Pronzato não pôde participar. Por isso, o evento do próximo dia 20, segundo ele, é uma oportunidade entusiasmante. “Esse dia vai ser muito importante para mim, porque vou poder ver o público reagindo ao filme pela primeira vez e também vou conseguir rever os grupos que lutam pela preservação da dignidade humana de cada um dos atingidos por essa catástrofe.”

Alexandre Sampaio, presidente da Associação dos Empreendedores no Pinheiro e Região Afetada e membro do MUVB, também participará do bate-papo na segunda-feira. Ele conta que já havia uma demanda pela veiculação do filme em outras línguas. “Alguns cientistas, pesquisadores, ativistas e jornalistas de outros países sentiram falta de legendas em inglês, pois, assim, o crime da Braskem poderia ser melhor estudado ao redor do mundo”, informa. Sampaio também atenta para o lançamento on-line do longa-metragem traduzido, que é a estratégia final para internacionalizar o Caso Braskem. “Na próxima segunda, o público já poderá, também, assistir ao documentário legendado no canal do Carlos Pronzato no YouTube.”

Por Assessoria

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.