Deputados debatem uso da polícia para cumprimento de decreto do Governo Em aparte, o deputado Davi Maia (DEM) classificou a medida como hipócrita, acusando o governador Renan Filho de provocar aglomerações diariamente, no intuito de fazer sua campanha ao Senado.

16 jun 2021 - 09:32

Plenário da Assembleia de Alagoas (Foto: Assessoria / ALE)

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 15, o deputado Cabo Bebeto (PTC) voltou a criticar as medidas adotadas pelo Governo no combate à pandemia da Covid-19. Desta vez, ele repudiou a operação realizada pela Polícia Militar, no último domingo, 13, para a retirada de banhistas da Praia do Francês, em Marechal Deodoro, por desobediência ao decreto governamental que proíbe o acesso a praias, calçadões, lagoas e marinas aos finais de semana.

“Foram empregadas quatro viaturas: três da Rotam, uma da Força Tarefa e um helicóptero, para tirar banhistas, homens, mulheres e crianças que estavam na praia. Alguns, certamente, aproveitando o único dia de lazer na semana”, criticou Bebeto.

O parlamentar prosseguiu dizendo que, como ex-integrante da Polícia Militar, só viu aparato semelhante em operações policiais de combate a quadrilhas de traficantes e assaltantes de banco. “Certamente, uma dupla de policiais teria resolvido o problema da mesma forma. Até porque não havia grandes aglomerações; eram pouquíssimas pessoas, na maioria famílias. Para mim, um emprego abusivo e desnecessário da força policial”, declarou Bebeto, apelando aos policiais que reflitam melhor sobre a forma como vão executar certas determinações, e chamando, em seguida, o Governo de Alagoas de ditatorial.

Em aparte, o deputado Davi Maia (DEM) classificou a medida como hipócrita, acusando o governador Renan Filho de provocar aglomerações diariamente, no intuito de fazer sua campanha ao Senado. Na sequência, o deputado Francisco Tenório (PMN) também considerou excessiva a operação policial, principalmente no que diz respeito ao aparato, que na opinião dele deveria ser empregado no combate ao crime.

A deputada Jó Pereira (MDB) se manifestou dizendo querer ver o mesmo empenho do Governo para evitar aglomerações dentro dos transportes públicos coletivos. Para o deputado Antonio Albuquerque (PTB), a operação ocorrida na Praia do Francês foi “ridícula”. “Gasto do dinheiro de Alagoas com horas de aluguel de helicóptero, um equipamento caríssimo; tirando a finalidade da atuação policial”, declarou.

Governo

Na defesa do Governo do Estado, o deputado Ronaldo Medeiros (MDB) observou que se há imoralidade ou ilegalidade no decreto, que seja contestado na Justiça, mas enquanto estiver valendo, deve ser cumprido. O deputado afirmou ainda que quem proíbe as pessoas de irem à praia é a falta de vacinas, e que, se existe hipocrisia, ela parte do presidente da República, descumprindo todas as orientações do Ministério da Saúde sobre os protocolos de combate à pandemia.

Para o líder do Governo na Casa, deputado Silvio Camelo (PV), o Brasil e Alagoas vivenciam uma guerra e o Estado tem que se utilizar de todos os meios para derrotar o coronavírus. “Ninguém impõe restrições porque quer. Faz porque é necessário; e os instrumentos infelizmente são esses. São decretos, campanhas publicitárias e também a força, quando necessário”, argumentou o governista.

Por Assessoria / ALE

Comentários