Deputado quer tornar igreja no Pinheiro Patrimônio Cultural de Alagoas Fundada em 1934, a Igreja Batista do bairro alimenta a fé da comunidade e foi espaço para atividades de utilidade pública.

17 jun 2021 - 09:30


Igreja Batista do Pinheiro foi fundada em 1934 (Fotos: Acervo histórico / Assessoria)

A problemática causada à população dos bairros de Maceió afetados pelo afundamento de solo, após o abalo sísmico sofrido em há três anos, tem se tornado, a cada dia, uma questão que abrange campos que passam pela saúde mental, moradia, segurança e fé.

Pensando nisso, o deputado Ronaldo Medeiros (MDB) protocolou nesta quarta-feira (16), na Assembleia Legislativa de Alagoas, um Projeto de Lei que visa tornar a Igreja Batista do Pinheiro Patrimônio Cultural Material e Imaterial de Alagoas.

Localizada na rua Miguel Palmeira, o templo religioso iniciou suas atividades em 1934, mas apenas cinco anos depois o prédio foi construído no local. Ao longo dos anos de sua história, a igreja foi não só lugar onde os fiéis depositavam suas orações, mas também um espaço para acolhimento de crianças e moradores em situação de rua, feiras de produtos da agricultura camponesa e ações de saúde pública.

Além disso, a Batista do Pinheiro carrega a marca da denúncia de injustiças e defesa dos direitos sociais, de grupos vulneráveis, lutando contra a homofobia, racismo e violência contra às mulheres.

“Acredito que ter fé seja uma boa descrição do que passam os moradores do Pinheiro nesse momento. Sem soluções à vista, é preciso fé para acreditar que elas virão. Este projeto é um pedido dos mais de 600 fiéis que frequentavam a igreja até março de 2020, em um ano de solidariedade e respeito pela história vivida. Torço e trabalho para que os moradores consigam ser amparados e as resoluções que merecem sejam garantidas”, explica o deputado Ronaldo Medeiros.

Já são três anos do abalo sísmico que atingiu as localidades do Pinheiro, Bebedouro, Mutange, Bom Parto e parte do bairro do Farol. A estimativa é que mais de 15 mil famílias, totalizando mais de 60 mil pessoas, tenham sofrido com a tragédia.

Em abril deste ano, Medeiros propôs na Assembleia Legislativa a criação de uma Comissão Parlamentar de inquérito (CPI) para apurar as causas e consequências das rachaduras e afundamentos causados pelo tremor de terra.

Por Assessoria / Ronaldo Medeiros

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.