Defensoria faz conciliação em caso de mãe sertaneja por videoconferência

08 jun 2019 - 12:22

Exemplo de audiência por videoconferência (Foto: Caio Loureiro / TJ-AL / Arquivo)

A Defensoria Pública de Alagoas tem usado a tecnologia para fazer resoluções céleres e menos burocráticas aos problemas enfrentados pelos cidadãos hipossuficientes do estado.

Nesta semana, os defensores das comarcas de São José da Tapera e Penedo, realizaram um acordo extrajudicial, em uma ação de pensão alimentícia, por meio de videoconferência.

A iniciativa evitou a judicialização da demanda e acelerou a resolução do acordo, entre os dois assistidos que residem distantes 162,6 km, um do outro.  

“A mãe e a criança residem em Tapera, mas o pai mora em Penedo. A notificação de comparecimento foi enviada para ele, através de amigos da assistida. Os dois compareceram nas sedes da Defensoria onde residem e nós realizamos a conciliação à distância”, explica Andrea Carla Tonin, defensora pública responsável no Sertão.

A defensoria explica que, caso a ação judicial fosse a opção, o desfecho efetivo do processo poderia levar até um ano, visto que, a ação demandaria citação por carta precatória, o que atrasaria muito o objetivo de obter  pensão. “ Além disso, nenhum dos assistidos precisou sair de sua comarca, evitando gastos com transporte e alimentação”, acrescenta Tonin.

Da Assessoria Defensoria com edição da Redação

Comentários