Sobre Erickson Soares

Comecei a escrever para blogs em 2012. Gosto de coisas simples e bem planejadas. Pontual, e isso não é tão bom assim.


Da Moral e o Moralismo

27 agosto 2018


Foto: Alexas_Fotos / Reprodução / Pixabay

Antes de tudo, gostaria de dizer que após um longo tempo sem publicar neste site, retorno com um tanto de disposição e empolgação. Espero permanecer assim. O tema, confesso, é um tanto intencional ao momento em que nossa sociedade está vivendo. Não apenas intencional por questão social e política, mas também por reflexão do significado das palavras moral e moralismo.

Há uma diferença gritante do que cada uma dessas palavras e seus significados possuem, tanto no contexto acadêmico, como no pragmatismo do dia a dia de um cidadão comum. A importância de esclarecer que há essa diferença se dá pelo fato de que justamente esse pragmatismo das rotinas em sociedade acabam somatizando os significados dessas palavras.

Sabe-se que durante a evolução em sociedade, os povos adotam hábitos e comportamentos necessários para a manutenção do convívio harmonioso desses. E nisso podemos entender o Ethos, ou seja, o caráter moral e social que caracterizam as ideias, costumes, crenças e cultura de um povo.

Em suma, a Moral pode-se referir a uma teoria ampla associada a ética, que rege a conduta, valores e princípios dos seres humanos em uma sociedade.

Uma rápida análise do Ethos brasileiro, ou seja, da sociedade brasileira, pode-se tirar três eixos principais, são eles: 1) formação de caráter colonial; 2) influência de diversas culturas; 3) analfabetismo e analfabetismo funcional. Uma sociedade estruturada nesses eixos, é uma sociedade fadada a cometer erros repetitivos. Erros que, basicamente, podem resultar em longos períodos de atrasos sociais, retrocessos científicos, insegurança econômica e principalmente, ameaça a democracia.

O anafalbetismo funcional é caracterizada principalemnte, pela dificuldade de compreensão textual e trata-se de uma pesarosa realidade brasileira. Este fato associado ao pragmatismo ignorante da população é o viés responsável pela produção de uma massa facilmente manipulada. Além disso, é responsável pela criação do moralismo, baseado numa cultura de desinformação, alteração de significados e desvio de valores.

O Moralismo é inversamente proporcional ao conceito da moral, está associado a um comportamento doutrinário de uma parcela populacional em detrimento a outras parcelas populacionais em uma mesma sociedade. Ou seja, a imposição tradicional filosófica ou religiosa de um grupo sobre outro grupo.

Trata-se de uma inversão ignorante da moral, principalmente por desconsiderar a gigantesca complexidade humana e julgar os que estiverem fora do que se considera por valor universal. Sem levar em conta a pluralidade e s reais direitos e deveres que um convívio em sociedade necessita, sobretudo, para continuar a evoluir ou, pelo menos, não retroceder.

Comentários