Com orçamento participativo, município de MG se aproxima da população

19 fev 2019 - 12:00

Foto: Assessoria / CNM

Em “meio mandato”, o prefeito de Campo Florido (MG), Renato Soares de Freitas, aprendeu uma lição: dá para ir além do orçamento participativo no que diz respeito ao engajamento e à transparência com a população. Ao assumir a prefeitura em agosto de 2017, Renatinho – como é conhecido – conta que os dois orçamentos, de 2017 e 2018, já estavam fechados e restava garantir a prestação de contas formal na Câmara de Vereadores.

Todo quadrimestre, os gestores apresentavam aos representantes do Legislativo municipal o balanço, e a primeira decisão do prefeito, atendendo a uma promessa de campanha, foi criar o Comitê Comunitário de Desenvolvimento Econômico.

“O grupo é formado por representantes da prefeitura e secretarias, da comunidade, do terceiro setor, tendo, inclusive, participação da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, a FIEMG. E acompanha receitas e despesas, dá sugestão. É orçamento participativo mesmo”, defende Renatinho.

Segundo ele, o projeto tem como objetivo incluir os moradores de Campo Florido na gestão municipal de forma mais ativa, apresentando todo o trabalho feito neste um ano e meio e discutindo o que ainda não foi desenvolvido e deve ser encarado como prioridade. Proposta semelhante à da campanha Viva seu Município, promovida pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) anualmente, em comemoração ao Dia do Municipalismo, em 23 de fevereiro.

Passos seguintes

Apesar da boa intenção, com o decorrer dos meses, eles sentiram a necessidade de tornar os encontros mais produtivos. “Em vez de passar quase uma hora falando de números, o que era cansativo para muitos, resolvemos criar tendas por área. Então, vamos levar a estrutura para os bairros e as comunidades, de uma forma mais atrativa. Por exemplo, social, ambiental, terceiro setor”, lista o prefeito.

Renatinho destaca que a oportunidade de prestar contas acabou se tornando uma forma de divulgar as boas práticas do Município e dos atores envolvidos com a administração local. Como a organização que tem um projeto social e trabalha com crianças e adolescentes no contra turno escolar. “Esse ano é o primeiro que fiz o orçamento da minha gestão, que tenho os meus projetos para desenvolver. Então pretendo dar toda a transparência, onde está sendo investido o dinheiro público, os pilares para as ações e programas, como educação e saúde”. Entre as novidades e informações que ele pretende levar aos habitantes do Município mineiro está a compra de 65% da merenda escolar dos agricultores familiares da região – índice alcançado, pela primeira vez, no ano passado.

O prefeito também aposta na parceria com as cooperativas agrícolas e de catadores, e os sindicatos rurais, para dar visibilidade às melhorias e buscar soluções para os problemas.

Da Agência CNM de Notícias

Comentários