Chuvas estarão abaixo da média em janeiro, fevereiro e março, prevê Semarh

05 jan 2017 - 08:38

De acordo com a Casal, mais de 20 municípios podem ser afetados com problemas de desabastecimento (Foto: Adaílson Calheiros / Agência Alagoas)

De acordo com a Casal, mais de 20 municípios podem ser afetados com problemas de desabastecimento (Foto: Adaílson Calheiros / Agência Alagoas)

A previsão de chuva para os próximos três meses desse ano não é muito animadora e a quantidade de água não será suficiente para abastecer os reservatórios e nem amenizar a seca. Essa foi previsão divulgada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

A chuva é aguardada pelos moradores que vivem em cidade com situação emergência por conta da escacasses da água. No entanto, o meteorologista da Sala de Alerta da Semarh, Vinícius Nunes Pinho, explica que as previsões não são muito animadoras principalmente para os municípios que se encontram em situação de emergência devido à seca. 

“Estamos iniciando o período do fenômeno La Niña e sua característica é o aumento de chuvas na região do Nordeste. No entanto, esse período de La Niña está fraco e a perspectiva é que as chuvas fiquem dentro ou abaixo da normalidade e não acima como deveria ser”, argumenta o meteorologista. 

Outros fatores se tornam preponderantes para que as regiões tenham chuvas abaixo das expectativas. Um deles é a temperatura do Oceano Atlântico que está mais elevada no Hemisfério Norte em relação ao Hemisfério Sul, diminuindo assim o acréscimo de umidade no Nordeste. Ou seja, é um fenômeno com influência direta na diminuição das chuvas. 

Outro exemplo constatado pela meteorologia para justificar o período abaixo do normal de chuvas é o sistema de alta pressão localizado no Oceano Atlântico, conhecido como alta subtropical. 

“É um fator significativo e que está muito próximo da costa, contribuindo para que as frentes frias que chegam do Sul fiquem estacionárias no Sudeste e não se desenvolvam até a região Nordeste. Assim, a previsão demonstra que os municípios alagoanos, principalmente os do semiárido, terão chuvas abaixo da normalidade e insuficientes para repor o déficit hídrico até março”, complementa o meteorologista Vinícius Nunes Pinho.

Do Cada Minuto com Agência Alagoas

Comentários