Carnaval leva municípios de AL intensificarem ações de combate ao Aedes

10 fev 2017 - 07:31

Larvas do mosquito da dengue (Foto: Agência Brasil)

Larvas do mosquito da dengue (Foto: Agência Brasil)

A proximidade do Carnaval e o aumento de contingente populacional nos municípios alagoanos, com o risco de aumento de criadouros do Aedes aegypti, levaram os gestores e técnicos municipais da Saúde a intensificarem as ações de combate e controle do mosquito, a exemplo dos mutirões de limpeza. Para tanto, o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems) realiza na próxima segunda-feira (13), das 8 às 13h, o I Encontro Temático Sobre Vigilância em Saúde no Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), no bairro do Pinheiro.

A mobilização – que conta com a parceria com a Defesa Civil, Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e outros órgãos que compõem a Sala Estadual de Combate e Controle do Aedes – se deu pelo número crescente de casos. Em 2016 foram registrados 23.966 de dengue; 8.126 de zika vírus e 18.473 de chikungunya. A febre amarela, apesar de não haver casos confirmados em Alagoas, representa outro fator de risco, considerando que a transmissão ocorre pelo mesmo vetor.

A presidente do Cosems, Normanda Santiago lembra que combater o Aedes demanda envolvimento não apenas do poder público, com suas pastas de Saúde, Educação, Saneamento, Infraestrutura, dentre outras, mas de parceiros do setor privado e da sociedade organizada, sobretudo porque é grande a responsabilidade comunitária no controle dos criadouros de mosquito em residências e domicílios.

Informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) mostram que Alagoas não possui caso confirmado da doença e o último suspeito ocorreu em 2013. Em 2017 já foi encaminhado ao CIEVS Nacional relatório com o detalhamento de dois casos suspeitos, conhecidos até o momento. O órgão ressalta ainda que as pessoas vieram ou viajaram para outras regiões do país. Os dois estão em situação de investigação com a coleta de amostras de sangue, aguardando resultados, situação que não permite a classificação conclusiva dos casos.

As ações de mobilização junto aos municípios serão discutidas no I Encontro Temático Sobre Vigilância em Saúde, que culmina com a abertura da Semana para o Combate ao Aedes aegypti. Constam da programação, dentre outros conteúdos, rodas de discussão sobre a Situação Epidemiológica das três doenças; Estratégias para Enfrentamento ao Aedes aegypti; além de apresentações das experiências municipais no combate ao vetor.

Por Mary Wanderley / Assessoria

Comentários