14 jan

0 Comments

Piranhas recebe maior evento de voluntários espíritas do país

Foto: Divulgação

A cidade de Piranhas, situada no Alto Sertão de Alagoas, vai receber caravanas de vários estados e países para a 63º Confraternização das Campanhas de Fraternidade Auta de Souza e Promoção Social Espírita (Concafras-PSE).

O evento reúne todos os anos cerca de 5 mil pessoas no período de carnaval, para realização de estudos cristãos e atividades práticas de caridade. Piranhas é uma das 5 cidades onde a Concafras será realizada em 2019. As outras são: Boa Vista (RR), Lucas do Rio Verde (MT), São Carlos (SP) e Dourados (MS).

Neste ano, o tema do evento é “A minha paz vos dou” em referência ao trecho bíblico do livro de João, capítulo 14, versículo 27.

Realizada desde 1957, a Concafras é promovida durante o feriado do carnaval e tem como objetivo a troca de experiências e a confraternização de crianças, jovens e adultos, de famílias que se dedicam voluntariamente a atividades de promoção social em áreas periféricas de cidades de todo Brasil.

Durante o evento também são oferecidos cursos que servem para formação, aperfeiçoamento e troca de experiências relativas ao voluntariado, favorecendo, assim, a implantação de novas atividades de promoção social.

Os cursos têm enfoque no desenvolvimento de atividades sociais, espíritas e voluntárias aos interessados em desenvolver trabalhos neste eixo em suas cidades.

Os coordenadores da Concafras em Piranhas, Marcelo Rodrigues da Silva e Lucas Lima Agra Brandão, explicaram que a Concafras se divide em dois tipos de atividades.

A primeira parte é teórica, em que os participantes escolhem cursos que instruem sobre como atender crianças, jovens e adultos e no segundo momento, durante o evento, os alunos realizam atividades voluntárias para fixar o aprendizado teórico.

“A Concafras é um evento de muita alegria e entusiasmo, reúne amigos e famílias. Esse estudo cristão ajuda a manter a mente e o foco em todos os momentos de nossas vidas na caridade, na solidariedade e no amor ao próximo. O estudo do Espiritismo estimula à fraternidade e motiva as pessoas a desenvolverem ações voluntárias, gerando o bem para a sociedade”, disse Lucas Brandão.

PRÁTICAS DE CARIDADE

Os confraternistas da Concafras fazem campanhas de arrecadação e doação de donativos, livros, enxovais para crianças recém-nascidas, entre outros.

“Tendo em vista que não basta só estudar o Evangelho de Jesus, mas também vivencia-lo, a Concafras levará os participantes à prática da caridade em diversas áreas de Piranhas e cidades vizinhas. O mundo será melhor quando nós formos melhores uns com os outros”, afirmou Marcelo Rodrigues.

Durante o evento serão visitados o Hospital Unidade Mista de Saúde de Xingó, em Piranhas e o Hospital Haydde Carvalho Leite Ramos, em Canindé de São Francisco (SE).

Também serão realizadas atividades junto às comunidades do bairro Olaria, em Canindé de São Francisco (SE), no bairro Nossa Senhora da Saúde em Piranhas e Bairro Desvio, em Olho d’água do Casado (AL).

A 63ª Concafras-PSE em Piranhas está sob a organização e coordenação da Associação Espírita Luz e Esperança (Rua Pão de Açúcar, sn, Bairro Nossa Senhora da Saúde, Piranhas) e do Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo (Rua 6 de Fevereiro, 894, Olho D’água das Flores).

Serviço:

Mais informações: www.concafras.com

Macilene Silva – (82) 98826-2717

Sandra Bezerra – (82) 99924-0491

Delaine Lima – (82) 98823-3348

07 dez

0 Comments

Atenção idosos e pessoas com deficiência, não percam o BPC/LOAS

Atenção idosos e pessoas com deficiência, não percam o BPC/LOAS (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Os idosos acima de 65 anos e as pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), também conhecido como LOAS, devem estar inseridos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Um Decreto Federal condiciona o recebimento do referido benefício à realização do cadastro até dezembro de 2018. 

O Benefício de Prestação Continuada (BPC), também chamado por muitos de LOAS, devido a sua base legal, é um benefício de 01 (um) salário mínimo mensal pago às pessoas idosas com 65 (sessenta e cinco) anos ou mais e também às pessoas com deficiência, incapacitadas para a vida independente e para o trabalho. Em ambos os casos, a renda familiar per capita dos beneficiários tem de ser inferior a ¼ do salário mínimo. 

Por determinação do Governo Federal, através do Decreto nº 8.805/2016, tornou-se obrigatória a inscrição desses beneficiários e requerentes e de suas famílias no Cadastro Único, seja para concessão ou manutenção do Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

O Cadastro Único é um instrumento que identifica as famílias de baixa renda, permitindo que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica de cada uma delas. Nele, são registradas as características da residência, a identificação de cada pessoa, a escolaridade, a situação de trabalho e renda, entre outras informações. 

O beneficiário ou responsável familiar pode procurar um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou um posto do Cadastro Único munido do CPF de todos os membros da família do beneficiário. Caso não haja o registro das informações nos órgãos competentes até dezembro de 2018, os beneficiários terão seus benefícios cancelados já a partir janeiro de 2019. 

Em meio a tantos cortes de benefícios pela Previdência Social importante voltar atenção para mais essa exigência administrativa e assim evitar um início de ano conturbado.

19 nov

0 Comments

Vai aproveitar a Black Friday? Se ligue em algumas dicas

Cuidados ao aproveitar uma Black Friday (Foto: StockSnap / Pixabay)

No próximo dia 23 de novembro será promovida em todo o país mais uma edição da Black Friday. Tido por muitos como uma oportunidade de fazer aquisições de produtos com valores abaixo do preço de mercado, a Black Friday já é sucesso no Brasil.

No entanto, no mesmo ritmo que esse evento cresce, também aumenta o número de reclamações e ações judiciais devido a golpes, fraudes e propagandas enganosas que surgem em compras pela internet ou na loja física.

Encantados pelos descontos, muitos são induzidas a comprar produtos ou adquirir serviços com preços alarmantes, que algumas vezes não corresponde a aquela contratação. Nesse sentido para não se arrepender, apresento alguns cuidados que devem ser tomados

Descontos exagerados

Black Friday é época de descontos e para muitos uma grande oportunidade de aquisição, mas o consumidor precisa levar em conta que nem todo desconto vem a ser uma economia real.

Prática bastante comum em algumas lojas é o aumento progressivo do preço do produto nos dias que antecedem a black friday e, no dia, oferecem descontos que acabam retornando ao preço original.

Imagine uma TV que custa originalmente R$ 1.500,00. Uma loja que faz essa prática vai aumentando o preço, pouco a pouco, dias antes da promoção a TV está custando R$ 3.000,00 e quando você vê, o valor é R$ 1.500,00. No dia da Black Friday, anunciam um “desconto” de 50% que equivale ao mesmo valor que você pagaria em dias normais.

Compre somente em lojas confiáveis

A atratividade por preços mais baixos é um fator que causa sério risco para quem vai às compras e quer aproveitar os descontos oferecidos pela Black Friday. Empresas com propagandas e descontos irrecusáveis podem trazer dor de cabeça sem tamanho.

É o caso de empresas fantasmas ou de fachada, muito comum na internet, que oferecem produtos com preços muito aquém do mercado, porém não entregam o produto adquirido, ou mesmo entregam o produto diverso daquele que contratou.

“Para essas empresas a atenção deve ser redobrada, uma vez que depois do golpe acontecer é difícil reaver e como você não quer sair no prejuízo, é melhor dar preferência para as lojas mais confiáveis.”

Mesmo que o valor seja um pouco mais elevado em uma loja maior, ela é mais segura e você tem mais garantias de que poderá usar seus produtos.

Cuidado com e-mails de promoções fake News

Quem navega pela internet recebe diariamente propagandas, com ofertas quase que irrecusáveis. Nesse período de Black Friday a intensidade de ofertas é muito maior, o que possibilita a disseminação de falsas propagandas, com o objetivo único de fazer o mal.

Basta enviar um e-mail com supostos preços baixos para levar o usuário a clicar em um link falso que ajude hackers a roubar informações, como usuários, senhas e até números de cartão de crédito. Normalmente e-mails falsos contêm muitos erros – e não clique em qualquer link.

Vai comprar pelo celular? Use antivírus!

Instale ou atualize seu antivírus e qualquer outro software de segurança.  As compras móveis estão crescendo, e com elas os riscos de fazer negócios pelo celular. É  uma boa ter um antivírus em seu smartphone para evitar cair em golpes (especialmente se você tiver um aparelho com Android).

Às compras!

Sabendo dos cuidados que devem ser tomados, é hora de ir às compras. Mas não deixe de fazer uma pesquisa online antes de entregar o seu número do cartão de crédito: alguns descontos não são tão incríveis assim, apesar das lojas fazerem questão de te fazer acreditar o contrário. Pesquise, até mesmo na internet, se o preço está compatível com o de outras lojas, a avaliação do site pelos clientes e se aquela oferta vale mesmo a pena.

Não gostou do produto ou não foi aquele que adquiriu??

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) garante o direito de arrependimento (artigo 49). Segundo ele, o cliente pode desistir do contrato (ou da compra) sem precisar justificar o motivo, no prazo de 7 dias a partir de sua realização ou recebimento do produto ou serviço, sempre que a contratação ocorra fora do estabelecimento comercial, como é o caso da Internet.

17 out

0 Comments

CONHEÇA OS DIREITOS E GARANTIAS DAS TRABALHADORAS GESTANTES

Foto: Reprodução / Pixabay

A legislação pátria tem assegurado às trabalhadoras gestantes direitos e garantias que objetivam a proteção tanto do bebê, quanto da mãe, seja durante o período de gravidez ou após o nascimento. Na seara trabalhista a proteção traz benefícios diversos desde a Licença Maternidade, o Direito à Amamentação, Direitos a consultas e exames médicos, incluindo ainda a garantia da estabilidade do vínculo salarial, tema inclusive recentemente pacificado no STF.

 

 

Licença Maternidade ou Salário Maternidade

A Licença maternidade ou Salário Maternidade é uma modalidade de direito trabalhista garantido à gestante no pós parto. As mulheres gestantes têm garantido o seu direito de afastarem-se do emprego de forma remunerada por 120 dias, após o nascimento da criança, no entanto, acordos sindicais, ou entre a chefia e a mulher, podem garantir a extensão de mais dois meses para tal benefício.

Inovação na legislação vigente é a possibilidade do afastamento também por 120 dias para os pais adotivos a partir do momento da guarda da criança, independentemente da idade do menor.

Mulheres que trabalham como autônomas ou como donas de casa e que contribuem com a Previdência também podem fazer jus ao benefício, nesse caso recebendo o salário-maternidade pelo mesmo período de 120 dias, desde que tenha contribuído, ao menos, por 10 meses.

É nesse mesmo sentido o benefício pago às mulheres que trabalham na agricultura, as chamadas Seguradas Especiais. Estas devem comprovar o labor rural 10 meses anteriores ao nascimento da criança, para fazer jus ao salário maternidade.

Direito à Amamentação

Passado o período da Licença Maternidade ou do Salário Maternidade, a mulher tem garantido o seu Direito à Amamentação mesmo em horário de trabalho. Como regra, a jornada de 8 horas garantem dois períodos de 30 minutos diários para amamentação.

Direito a Consultas e Exames

Durante o período de gravidez, toda gestante contratada tem o direito a, no mínimo, seis dispensas para realizar exames e consultas, comprovadas por atestado médico, pelo tempo que o atestado indicar necessário para a realização do procedimento. Nada impede que em acordos com o empregador esse período se estenda a uma quantidade maior de procedimentos.

Direito à Estabilidade

Toda trabalhadora tem direito a estabilidade no emprego a partir do momento de sua gravidez, até 5 meses após o parto, ou seja, a gestante não pode ser demitida se constatada a gravidez, exceto por justa causa.

Apesar de já vigorar tal entendimento, este foi pacificado em recente decisão pelo STF. Com o entendimento, as mulheres demitidas após estarem grávidas e que não sabiam da sua situação na data da demissão, devem ser readmitidas se comprovada a gravidez anterior ao fato.

Segundo decisão majoritária do STF, o desconhecimento por parte da trabalhadora ou a ausência de comunicação, não pode prejudicar a gestante, uma vez que a proteção à maternidade, como direito individual, é irrenunciável.

As normas apresentadas são Direitos e Garantias Trabalhistas que visam à proteção da criança e da mulher no trabalho, uma vez que tanto na condição de grávida, quanto na de mãe após o parto, urge inúmeras dificuldades em encontrar um novo emprego. Assim, necessário se faz uma proteção legal que garanta a estabilidade financeira mesmo que de forma provisória, sem no entanto colocar em risco as condições de vida do recém nascido.

30 set

0 Comments

Entenda, de uma vez por todas, a Lei Rouanet

Foto: Divulgação

A Lei 8.313/91, popularmente conhecida como Lei Roaunet, tem tomado espaço cada vez mais nos ambientes de debates insipientes. Fortalecidos pela imprudência no momento de receber, repassar e acreditar em notícias falsas.

O nome popular da Lei se deu em homenagem ao principal idealizador, o diplomata, filósofo e professor Sérgio Paulo Rouanet. Ao contrário do que se vulgariza, a Lei Rouanet se trata de um mecanismo de incentivos fiscais, como forma de estimular a iniciativa privada ao setor cultural.

Em resumo, o governo abre mão de parte dos impostos para que esses valores sejam investidos em projetos culturais de exibição, utilização e circulação públicas. Não foi criada por um determinado partido, como toda e qualquer lei. Através da lei Rouanet cidadãos e empresas (pessoas físicas e jurídicas), podem destinar parte do seu Imposto de Renda devido.

Foto: Divulgação

O incentivador é fornecedor dos recursos para o evento, consequentemente, através da Lei Rouanet, tem dedução parcial ou total no Imposto de Renda. Existem duas formas de fornecimento: patrocínio ou doação. no caso de patrocínio, o incentivador pode ser publicado como tal. Já em doação, o incentivador não pode ser citado ou promovido pelo evento.

Em verdade vos digo, precisamos com urgência, verificar as notícias e informações que nos chegam, antes de simplesmente repassar a corrente de burrice e analfabetismo funcional.

10 set

0 Comments

QUEM SABE FAZ A HORA

Foto: Divulgação

Não é novidade que os partidos políticos no Brasil estão cada vez mais enfrentando crises, principalmente, no que se refere a legitimidade e carisma com a população.

Isso é um dos combustíveis que tem fortalecido o aparecimento de grupos com propostas de políticas públicas, principalmente, formados por jovens da sociedade civil. De longe, esses grupos têm dois pontos em comum. O primeiro ponto é o interesse em manter um debate com a população sobre pontos que realmente interessem a própria população.

O segundo ponto é a crítica a “atual” forma de política e politicagem que prevalecem no Brasil. Atual entre aspas, visto que a política no Brasil possui tais características há um bom tempo. A proposta central é a renovação na política, com a participação cada vez mais de jovens.

O Movimento Acredito é um desses grupos e tem se destacado principalmente por ser idealizado e encabeçado por jovens e colocar por água à baixo a polarização direita-esquerda. Propõem-se como uma alternativa de renovação nacional e superação à polarização radical de direita e esquerda.

Os jovens que estão à frente do Movimento Acredito são o professor Felipe Oriá, o consultor José Frederico Lyra e a pesquisadora Tábata Amaral. E na próxima eleição, o grupo está lançando candidatos em vários estados do Brasil.

Precisamos sim valorizar os jovens que há algumas décadas estiveram engajados na conquista da democracia. Porém, os tempos são outros e com novos desafios a serem superados. Com novas lideranças, novas propostas, esperança renovada e um extenso caminho. Para a conclusão, fica então o convite para conhecer o Movimento Acredito suas ideias e propostas. Clicando aqui (https://www.movimentoacredito.org/), você acessa o site.

03 set

0 Comments

O Mito brasileiro

Foto: Ilustração

A definição de mito no Dicionário Aurélio é “coisa só possível por hipótese”. Ou seja, algo que existe somente em forma de suposição. A margem da verdade. Podemos encontrar ainda no mesmo dicionário, a definição de mitologia como “conjunto de fábulas”. Definição essa que fala por si só.

Considerar algo ou alguém como mito é literalmente como colocar à prova a sua veracidade, a sua existência de fato. Ou no mínimo, considerar que o indivíduo se encaixa em um conto fabuloso.

O Mito brasileiro em questão está longe de um conto fabuloso feliz ou utópico, na verdade se encaixa perfeitamente em um conto de terror angustiante. Fazendo uma analogia a mitologia grega, podemos comparar o Mito brasileiro com Érebo, o deus da escuridão. Ele é a personificação das trevas e é considerado um dos maiores inimigos de Zeus.

Ainda continuando essa divertida analogia com a mitologia grega, podemos citar outra narrativa, o mito de Sísifo, um camponês simples – como a maior parte do povo brasileiro – que certo dia tentou ser mais esperto que os deuses.

Por isso então, Sísifo, recebeu a punição de rolar uma pedra gigante até o topo de uma montanha. E quando chegava ao topo, a pedra rolava novamente até o chão, devido seu peso e o cansaço dele. E no dia seguinte, Sísifo teria que repetir toda a atividade até o fim de sua vida.

Albert Camus, em seu livro O Mito de Sísifo, usa o conto para explicar que a condição humana é basicamente seguir uma rotina diária, sem sentido próprio, determinada por algumas instâncias. Onde os “camponeses simples” continuarão sempre repetindo atividades.

Porém, podemos sim continuar numa condição humana simples sem imitar a esperteza de Sísifo. Basta tentar pensar um pouco sobre o que nos reserva o futuro se o Mito brasileiro tornar-se o senhor dos camponeses. É melhor não abrir essa Caixa de Pandora!

30 ago

0 Comments

Aposentados podem ter direito a 25% de adicional em seus salários; entenda

Foto: stevepb / Pixabay

O Superior Tribunal de Justiça em votação recente decidiu ampliar o adicional no salário dos aposentados que necessitem de cuidadores. A princípio este percentual só era devido em casos de aposentadoria por invalidez, porém com a decisão, outros tipos de aposentadoria também poderão ter o acréscimo desde que cumpram os requisitos exigidos.

Aposentados por invalidez que necessitam de auxílio permanente de terceiros em razão de problemas de saúde incapacitante, recebem a título de auxílio 25% a mais em seus salários, a boa notícia é que uma recente decisão do STJ estendeu esses direitos a outros tipos de aposentadoria, como a aposentadoria por idade e por tempo de serviço.

A Lei 8.213/1991 estabelece que será devida a Aposentadoria por invalidez ao segurado da Previdência Social que for considerado incapaz e seja ele insusceptível de recuperação para o exercício da atividade que lhe garanta subsistência. Porém, não é muito difícil encontrarmos beneficiários que, mesmo não estando na condição de aposentado inválido, dependem da assistência de terceiros para as atividades rotineiras do dia a dia, como alimentação, higiene, locomoção, etc.

A lei supracitada estabeleceu que os aposentados por invalidez, que necessitem de assistência permanente de outra pessoa, deverá fazer jus a um aumento em seus proventos de 25% sobre o valor de seu benefício, o objetivo principal é custear os serviços realizados pelo assistente.

No entanto a lei tem limitado o referido aumento apenas aos beneficiários que estejam em gozo de aposentadoria por invalidez e, desde que, comprovem a dependência de ser auxiliado por terceiros,  ou seja, que apresentem algum tipo de incapacidade. Ocorre que em recente decisão, o STJ ampliou tal entendimento buscando dar isonomia aos beneficiários aposentados de maneira geral mas que comprovem depender do auxílio de assistente para a prática dos atos.

Na decisão o STJ estendeu a todos os aposentados que necessitem de cuidados permanentes o adicional em seu benefício. Agora, comprovada a necessidade de assistência permanente de terceiro, é devido o acréscimo de 25% previsto no artigo 45 da Lei 8.213/1991, a todas as modalidades de aposentadoria.

Nesse sentido além dos aposentados por invalidez, também poderão requer o acréscimo, os aposentados por tempo de serviço e por tempo de contribuição que comprovem tais requisitos.

COMO REQUERER OS 25%?

Apesar da decisão do Superior Tribunal, esta, ainda assim não vincula o INSS. Isso quer dizer que ao solicitar o acréscimo junto ao INSS o pedido certamente será indeferido. A partir daí o requerente deverá procurar um advogado de sua confiança para buscar seu direito na Justiça.

28 ago

0 Comments

SURGIU O COMÉRCIO

Arapiraca, cidade comercial. (Foto: Ângelo Rodrigues)

Segundo Boulos, (História), “Com o aumento da oferta de alimento, a invenção do arado e de novas técnicas de irrigação passou a ocorrer a produção de excedentes, ou seja, as aldeias passaram a produzir mais alimentos do que consumiam. Consequentemente, seus membros puderam se dedicar a outras atividades como a carpintaria e a tecelagem. Ocorreu, assim, uma crescente divisão do trabalho: uns construíam casas, outros faziam tecidos, outros produziam armas, outros  modelavam potes e panelas de cerâmica, e havia ainda os que caçavam e pescavam.

Quem produzia trigo ou azeite, por exemplo, passou a trocar seus produtos por um vaso, um tecido ou uma arma. Nascia assim o comércio. Com o tempo, essas trocas deixaram de ser feitas pelos próprios produtores e passaram a ser efetuadas por um personagem novo naquela época: o comerciante”.

Com o tempo, algumas cidades passaram a se destacar como pontos comerciais que a continuação às transformou em importantes centros de comércio. Mas alguns povos aproveitaram o excedente para comercializar perambulando por outros povos. Outros ainda, de território difícil para a agricultura e pecuária, passaram a negociar com outras gentes, comprando e vendendo com as sobras, de territórios que produziam. Atualmente, em todos os lugares do mundo se encontra pontos famosos pelo que vendem. Aqui no Brasil, chamamos a essas cidades de cidades comerciais. Mesmo contando com inúmeras indústrias, a fama do comércio persiste sobre todas as outras formas econômicas. Para que os exemplos fiquem mais perto, temos Caruaru, no estado vizinho do norte e Arapiraca em Alagoas.

No caso da nossa cidade, Santana do Ipanema, localizada no Médio Sertão Alagoano, podemos classificá-la como cidade comercial, desde os tempos de vila. A vocação de comércio independe do tamanho do lugar. Uma pequena vila, um povoado ou um simples arraial, pode carregar essa vocação e até se expandir se tornando grandes centros como alguns que conhecemos como Sorocaba, Barretos e outros menores.

Atualmente o Comércio é um dos setores que mais emprega no Brasil.

Clerisvaldo B. Chagas, 28 de agosto de 2018

Crônica: 1.973 – Escritor Símbolo do Sertão Alagoano

27 ago

0 Comments

Da Moral e o Moralismo

Foto: Alexas_Fotos / Reprodução / Pixabay

Antes de tudo, gostaria de dizer que após um longo tempo sem publicar neste site, retorno com um tanto de disposição e empolgação. Espero permanecer assim. O tema, confesso, é um tanto intencional ao momento em que nossa sociedade está vivendo. Não apenas intencional por questão social e política, mas também por reflexão do significado das palavras moral e moralismo.

Há uma diferença gritante do que cada uma dessas palavras e seus significados possuem, tanto no contexto acadêmico, como no pragmatismo do dia a dia de um cidadão comum. A importância de esclarecer que há essa diferença se dá pelo fato de que justamente esse pragmatismo das rotinas em sociedade acabam somatizando os significados dessas palavras.

Sabe-se que durante a evolução em sociedade, os povos adotam hábitos e comportamentos necessários para a manutenção do convívio harmonioso desses. E nisso podemos entender o Ethos, ou seja, o caráter moral e social que caracterizam as ideias, costumes, crenças e cultura de um povo.

Em suma, a Moral pode-se referir a uma teoria ampla associada a ética, que rege a conduta, valores e princípios dos seres humanos em uma sociedade.

Uma rápida análise do Ethos brasileiro, ou seja, da sociedade brasileira, pode-se tirar três eixos principais, são eles: 1) formação de caráter colonial; 2) influência de diversas culturas; 3) analfabetismo e analfabetismo funcional. Uma sociedade estruturada nesses eixos, é uma sociedade fadada a cometer erros repetitivos. Erros que, basicamente, podem resultar em longos períodos de atrasos sociais, retrocessos científicos, insegurança econômica e principalmente, ameaça a democracia.

O anafalbetismo funcional é caracterizada principalemnte, pela dificuldade de compreensão textual e trata-se de uma pesarosa realidade brasileira. Este fato associado ao pragmatismo ignorante da população é o viés responsável pela produção de uma massa facilmente manipulada. Além disso, é responsável pela criação do moralismo, baseado numa cultura de desinformação, alteração de significados e desvio de valores.

O Moralismo é inversamente proporcional ao conceito da moral, está associado a um comportamento doutrinário de uma parcela populacional em detrimento a outras parcelas populacionais em uma mesma sociedade. Ou seja, a imposição tradicional filosófica ou religiosa de um grupo sobre outro grupo.

Trata-se de uma inversão ignorante da moral, principalmente por desconsiderar a gigantesca complexidade humana e julgar os que estiverem fora do que se considera por valor universal. Sem levar em conta a pluralidade e s reais direitos e deveres que um convívio em sociedade necessita, sobretudo, para continuar a evoluir ou, pelo menos, não retroceder.