Alunos da Ufal Santana do Ipanema apresentaram trabalhos em evento nacional

10 Maio 2017 - 10:32

A conferência foi realizada em Recife e reuniu pesquisadores de vários países.

Estudantes representaram o curso de Economia do Campus Sertão (Foto: Cortesia)

Estudantes representaram o curso de Economia do Campus Sertão (Foto: Cortesia)

A 18ª Conferência Brasileira de Folkcomunicação, um evento internacional que reúne pesquisadores da área de comunicação, economia, agronomia e desenvolvimento local, foi realizada de 3 a 5 de maio, em Recife, na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e na Faculdade Integrada de Pernambuco (Facipe). O curso de Economia da Unidade de Santana de Ipanema da Ufal foi representado por oito estudantes, que tiveram quatro trabalhos aprovados.

Este ano, o tema foi Folkcomunicação, cidadania e inclusão social no contexto das rurbanidades. As pesquisas sobre o potencial político emancipatório das manifestações populares foram apresentadas por discentes e abordadas em palestras de convidados conceituados como os professores José Marques de Melo (Umesp/Cátedra Unesco), Luitgarde Cavalcanti (PUC-SP), Jorge González (Universidad Autónoma de México), Allan Rodrigues (Ufam), Cristian Aguilar (Universidad Austral de Chile) e Djalma Thürler (Ufba).

Segundo o professor Maurício de Siqueira Silva, que orientou e foi coautor dos quatro trabalhos aprovados, as pesquisas focaram a riqueza cultural, associativa e econômica do sertão de Alagoas. Os alunos receberam com entusiasmo a aceitação dos resultados. “Esses estudos nos abriram um campo de visão: mostrar a cultura local como forma de identidade. Identidade essa, que deve ser preservada e divulgada. Para nós, não é somente um trabalho acadêmico, mas também um resgate do passado que está se perdendo. O evento contribui para que histórias e tradições sejam compartilhadas e, para nós foi uma honra representar nossa Universidade”, destacou a estudante Janieide Lins.

Os trabalhos apresentados pelos graduandos da Ufal abordaram temas ligados às manifestações folk na procissão de carros de boi, na festa de Senhora Sant’Ana, em Santana do Ipanema; e na vaqueja, como os caminhos para reconhecimento do esporte e o papel no desenvolvimento de uma região. O uso da folkcomunicação também foi inserida nas pesquisas realizadas na cooperativa Natu Capri e no desenvolvimento cultural e econômico na cidade de Maravilha.

Por Assessoria Ufal

Comentários