Aliança Tropical de Pesquisa da Água abre sede regional em Alagoas A direção provisória em Alagoas é formada pelos professores José Vieira Silva e Emerson Soares e convida pesquisadores e estudantes para filiação.

17 abr 2021 - 10:01

Foto: Divulgação

Pesquisadores e estudantes com foco nos atuais desafios ambientais relacionados às mudanças climáticas, crise hídrica, saneamento, poluição, gestão sustentável e conservação dos ecossistemas estão sendo convidados a participar da sede regional de Alagoas da Aliança Tropical de Pesquisa da Água (TWRA). Nessa fase de implantação, a entidade está sendo dirigida pelos professores José Vieira Silva (diretor) e Emerson Carlos Soares (vice-diretor), ambos da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Segundo José Vieira Silva, esse campo de pesquisa exige uma abordagem multidisciplinar que considere as dimensões sociais, econômicas e culturais para a gestão da água. “Neste contexto, a TWRA traz uma abordagem diferenciada em relação à forma de desenvolver pesquisa em rede nacional com parceria internacional, onde a formação e estabelecimento de parcerias interinstitucionais e redes de pesquisa fortes e confiáveis são essenciais”, ressalta o diretor.

A TWRA é fruto de uma parceria entre instituições públicas e privadas e o meio acadêmico do Brasil e da Austrália cujos objetivos passam pela busca de soluções para os problemas relacionados à água em ecossistemas tropicais, bem como promover uma abordagem integrada para a pesquisa e a gestão das bacias hidrográficas tropicais. A Aliança é presidida no Brasil pelo professor e pesquisador José Francisco Gonçalves Júnior (UnB). Na Austrália, a coordenação geral da TWRA está a cargo de Stuart Bunn, da Griffith University, em Queensland.

O diretor regional destaca que participar da TWRA abre possibilidades de pesquisas que possam apontar soluções para os grandes problemas colocados. “A comunidade científica mundial está diante de inúmeros desafios ambientais urgentes e sem recursos e apoio para enfrentá-los sozinha. Neste sentido, a criação de vínculos entre poder público, setor produtivo e sociedade civil é visto com a melhor forma para garantir que as atividades de pesquisa sejam desenvolvidas, aplicadas e que possam efetivamente atender às necessidades da sociedade em geral”, aponta José Vieira. 

Histórico da TWRA Brasil

As tratativas para criação da aliança começaram no ano de 2013, com o conceito inicial de Aliança Tropical (Tropical Alliance) que foi proposto pela Austrade e Trade Investment Queensland (TQI) para promover o intercâmbio acadêmico e de negócios entre Brasil e Austrália. O Australian Rivers Institute, da Griffith University se tornou o líder no desenvolvimento da iniciativa da Aliança Tropical e identificou o Gerenciamento de Recursos Hídricos como área prioritária.

Em 2015, cientistas australianos visitaram o Brasil e se reuniram com agências de fomento à pesquisa e treinamento nos níveis Federal (CNPq, Capes) e Estadual (FAPESP, FAPEMIG, FAPERJ, FAPEAM, SECTES), agências de água e meio ambiente, incluindo a Agência Nacional das Águas (ANA) e agências estaduais em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Brasília, federações das indústrias (Fiesp, FIEMG) e grupos de pesquisa da USP, UFMG, UFRJ, UERJ, UnB e Inpa.

 Em outubro de 2020, foi criada oficialmente a associação TWRA Brasil, que é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, contando com 11 sedes estaduais fundadoras, em fase de implantação e consolidação. Na Austrália estão envolvidas diretamente a Charles Darwin University, Griffith University e University of Western Australia.

Atuação da Rede

Após seis meses da sua criação, a TWRA Brasil já conta com quase 200 sócios adimplentes, 40 cursos de pós-graduação cadastrados (mestrado e doutorado), 65 instituições parceiras associadas, 40 laboratórios de referência para suporte de análises e dois memorandos de entendimentos assinados (Confap e IF-ES) e outros em negociação.

Neste curto tempo existencial, a equipe multidisciplinar da TWRA já aprovou um projeto no Ministério do Desenvolvimento Nacional (R$ 4,2 milhões) e dois projetos a nível estadual (FAP-ES/R$ 300 mil, Fundação Araucária-PR/R$ 400 mil). Os projetos serão desenvolvidos pelas sedes estaduais propositoras em parceria com profissionais da TWRA de outras sedes que participaram da elaboração dos mesmos.

Um convite para os pesquisadores da Ufal

O diretor regional da TWRA informa que a Ufal conta hoje com vários programas de pós-graduação ligados à questão ambiental e de recursos hídricos. “Para os docentes e pesquisadores ligados a estes programas de pós-graduação, a possibilidade de participação de uma rede pesquisadores com a que está sendo formada pela a TWRA expande as perspectivas de novos trabalhos científicos em rede Nacional, captação de recursos financeiros em editais induzidos e também aos destinados ao terceiros setor, bem como amplia as fronteiras do conhecimento e treinamento de pessoal”, relata José Vieira.

As perspectivas de publicações em parceria internacional são outro atrativo para filiação à entidade. “Como se trata de uma rede colaborativa resultante da parceria entre Brasil e Austrália, além de intercâmbios de pesquisadores e alunos de pós-graduação, há a perspectiva do desenvolvimento e publicação de trabalhos científicos em parcerias. Neste último caso, as publicações podem aumentar em até cinco vezes as citações desses artigos e também aumentar a chance de publicar em jornais com elevado fator de impacto”, ressalta o diretor regional.

José Vieira Silva enfatiza as perspectivas que se abrem aos pesquisadores que se filiarem e participarem efetivamente das pesquisas e trabalhos em rede da TWRA. “Para os programas de pós-graduação das Universidades filiadas, há ainda a possibilidade de ofertas de disciplinas on-line em rede para os alunos regularmente matriculados, participação em webinários, palestras, conferências e outros eventos ofertados pela TWRA Brasil”, destaca.

Como se associar à TWRA?

Aos profissionais e instituições que desejarem se associar à TWRA em Alagoas, existem as categorias: institucional; profissional-pesquisador e pós-doctor; e estudante de pós-graduação. “Quem desejar se associar, após contato com os diretores locais, será disponibilizado um formulário que deverá ser preenchido e enviado à sede local para avaliação. Após aprovação do cadastro, a secretaria da TWRA Brasil enviará um boleto para pagamento da anuidade, e somente após a compensação deste, será efetivada a filiação, emissão e envio do certificado de filiação”, explica José Vieira. 

Para filiação em Alagoas, entrar em contato com o diretor regional pelos e-mails vieira@arapiraca.ufal.br e soaemerson@gmail.com.

Para mais informações sobre TWRA Brasil, acessar o site.

Da Assessoria Ufal

Comentários