Alexandre Ayres: um milhão de doses da Coronavac imuniza 500 mil pessoas Secretário de Estado da Saúde reforça que a projeção de vacinar a população alagoana será a partir de fevereiro, com prioridades para grupos de risco

16 dez 2020 - 21:34

Secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres assinou Protocolo de Intenções para aquisição da Coronavac nesta quarta (16) (Foto: Carla Cleto / Agência Alagoas)

Após anunciar a assinatura de um Protocolo de Intenções para aquisição da Coronavac, vacina contra a Covid-19 produzida no Instituto Butantan, em parceria com a fabricante chinesa Sinovac, o secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, explica que foi solicitado, durante a reunião com Raul Machado Neto, diretor de Estratégia Institucional do instituto, um milhão de doses do imunizante.

O titular da Sesau concede nesta quinta-feira (16), às 9h30, uma coletiva on-line, para tratar sobre o planejamento de Alagoas para imunizar a população.

“Por meio do nosso manifesto junto ao Instituto Butantan, solicitamos a disponibilização de um milhão de doses da vacina Coronavac. Como cada cidadão precisa tomar duas doses da vacina, em duas oportunidades, o Estado de Alagoas teria um quantitativo para imunizar 500 mil pessoas. É claro que a vacina não será disponibilizada em sua totalidade, de forma imediata”, informou o secretário.

A projeção da Secretaria de Estado da Saúde é que a vacinação contra a Covid-19 seja iniciada em Alagoas a partir de fevereiro de 2021, e a população passe a ter acesso aos imunizantes. “É importante ressaltar que a prioridade no ato da vacinação é dos grupos de risco, que são os idosos, doentes crônicos e profissionais de saúde. Nós temos aproximadamente 80 mil profissionais de saúde, incluindo a rede pública e privada, que estão atuando na linha de enfrentamento ao coronavírus e precisam estar imunizados para continuarem desempenhando este importante trabalho”, contextualiza o secretário.

Plano Nacional de Imunização – O secretário Alexandre Ayres também fez uma abordagem acerca do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. Entre os destaques, Alexandre Ayres ressaltou a pactuação do Governo de São Paulo e Governo Federal para garantir a prioridade para os estados que demonstraram interesse na aquisição da Coronavac.

“Dez estados formalizaram parceria com o Governo de São Paulo e Alagoas está entre eles. Nesta pactuação, o Estado de Alagoas está inserido como prioritário para o recebimento dos imunizantes produzidos pelo Instituto Butantan. Ou seja, em caso de o Governo Federal decidir pela aquisição da vacina Coronavac, de 15 de janeiro até o final do mês de março, serão disponibilizadas 46 milhões de doses. Se o Governo Federal opte em adquirir outra vacina, o Governo do Estado de São Paulo dará sequência ao envio de doses da Coronavasc que assinaram o Protocolo de Intenções”, justifica o secretário.

Anvisa 

O Governo de São Paulo vai enviar, até o dia 23 de dezembro, o resultado dos testes da vacina Coronavac no Brasil à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A expectativa é conseguir o registro definitivo do imunizante.

A CoronaVac está na terceira fase de testes, estágio em que a eficácia precisa ser comprovada, antes da liberação pela Anvisa. Para que a vacina comece a ser distribuída, existe a necessidade de o Instituto Butantan encaminhar um relatório à Anvisa e que o órgão aprove o uso da vacina.

Por Nigel Santana / Agência Alagoas

Comentários