Alagoas registra maior incidência de câncer de próstata, mama e colo do útero

27 nov 2012 - 16:35

Foto: Olival Santos

O câncer de próstata, nos homens, e o câncer de mama e colo de útero, nas mulheres, lideram o número de incidência da doença entre os alagoanos. No Estado, as estimativas em 2012 apontam que, a cada 100 mil habitantes, 28.28% dos homens serão acometidos pelo câncer de próstata; e 26.21% e 16.93% das mulheres, pelo câncer de mama e colo de útero, respectivamente.

Mediante a alta incidência do câncer em Alagoas, a Secretaria do Estado da Saúde (Sesau), por meio da Gerência do Núcleo de Prevenção e Controle de Câncer, faz um alerta sobre a prevenção e detecção precoce da doença. Isso porque, com estas medidas, as chances de cura são expressivas, segundo estudos do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e do Ministério da Saúde (MS), que promovem nesta terça-feira (27), Dia Nacional de Combate ao Câncer, a campanha Informação Salva Vidas.

Em Maceió, as estimativas da doença para 2012 são ainda maiores. A cada 100 mil habitantes, os dados mostram que 40.63% dos homens serão acometidos por câncer de próstata; já 42.12% e 19.30% de mulheres, terão câncer de mama e colo de útero, respectivamente. “Juntos, o câncer de mama e colo de útero, somam 61.42% de mulheres acometidas pela doença na capital. Esses dados alertam a quem devemos enfatizar as informações”, observou o oncologista da Sesau, João Aderbal.

Cuidados – O oncologista João Aderbal alerta que o momento da campanha é uma oportunidade para compartilhar as principais dicas para se proteger da doença. Por isso, é importante seguir uma alimentação saudável – evitando alimentos gordurosos, salgados e enlatados -, não fumar, praticar atividade física, controlar o peso, evitar a ingestão de bebidas alcóolicas, evitar exposição prolongada ao sol, fazer diariamente a higiene oral e realizar o exame de sangue oculto.

As mulheres, com idade entre 25 e 64 anos, devem realizar exame preventivo ginecológico (Papanicolau). Já as mulheres com 40 anos ou mais devem realizar o exame clínico das mamas anualmente. “Esses exames devem ser feitos mesmo que a mulher não perceba nenhum sintoma. Se uma pessoa da família teve um câncer de mama antes dos 50 anos de idade, a mulher tem mais chances de desenvolver a doença”, alertou o oncologista.

Serviços – No Estado, as unidades de referência para diagnóstico e tratamento do câncer são a Santa Casa de Misericórdia de Maceió e o Hospital Universitário Professor Alberto Antunes – que são Centros de Alta Complexidade em Oncologia (Cacons); além do Hospital do Açúcar e do Hospital Afro Barbosa, em Arapiraca – que são Unidades de Assistência de Alta Complexidade (Unacons).

De acordo com Ernestino Veiga, gerente do Núcleo de Prevenção e Controle de Câncer da Sesau, a política do câncer do Estado é definida com base nas diretrizes do Ministério da Saúde. “A Sesau desenvolve e coordena ações integradas para prevenção e controle do câncer, objetivando a cobertura integral nas áreas de prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos para os pacientes portadores de neoplasias malignas e afecções correlatas”, explicou.

Fonte: Ascom / Saúde

Comentários