Alagoas recebe mais de R$ 2 milhões para combate à dengue

09 jan 2013 - 16:02

Foto: Ilustração

Os municípios alagoanos terão um adicional de R$ 2.417 milhões em 2013 para intensificar a vigilância, a prevenção e o controle da dengue. A verba já foi repassada em parcela única e representa um subsídio de 20% do valor anual do Piso Fixo de Vigilância e Promoção da Saúde. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) também foi contemplada com R$ 434 mil.

Ao todo, serão R$ 2.8 milhões em recursos, liberados pelo Ministério da Saúde (MS), que devem ser aplicados na qualificação das ações de combate ao mosquito transmissor da doença causada pelo Aedes aegypti, em especial no aprimoramento dos planos de contingência. O montante é maior que o disponibilizado em 2012, quando as administrações municipais receberam R$ 2.089 milhões.

Em contrapartida, as cidades precisam cumprir algumas metas. Entre elas, disponibilizar quantitativo adequado de agentes de controle de endemias; garantir cobertura das visitas domiciliares; adotar mecanismos para a melhoria do trabalho de campo; realizar o Levantamento Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) e notificar os casos graves suspeitos.

Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, Sandra Canuto, os recursos são de extrema importância para o Estado. “Todos os municípios têm a presença do mosquito e poderão fortalecer suas ações. Será fundamental para que eles qualifiquem as ações de prevenção e controle da doença. Isso vai contribuir para diminuirmos nossos índices”, expõe.

Em todo o País, o MS está repassando R$ 173,2 milhões a todos os municípios brasileiros. Deste total, R$ 143,6 milhões serão destinados às secretarias municipais e R$ 29,7 milhões às secretarias estaduais. Mais de 190 milhões de pessoas serão beneficiadas com as medidas. No verão passado, o Ministério da Saúde repassou R$ 92 milhões para 1.180 municípios.

Campanha

A superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau ressalta que, a partir de fevereiro, será iniciada uma campanha de conscientização em todo o Estado. Para trabalhar com a população, as administrações municipais receberão material educativo sobre a doença. Também está prevista a divulgação de informações sobre a dengue na mídia.

“Precisamos divulgar isso para as pessoas e relembra-las que a dengue não é só agora, que ela está presente o ano todo. Todos nós sabemos os cuidados que devem ser tomados, mas precisamos agir, tampando potes, limpando a caixa d’água, não deixando lixo espalhado. Os gestores municipais também têm que trabalhar para diminuir os casos”, lembra Sandra Canuto.

Casos

Os 102 municípios alagoanos notificaram, durante todo o ano de 2012, 33.587 casos suspeitos de dengue, um crescimento de 186% em relação a 2011, quando foram registrados 11.734. Já na forma grave da doença, foram notificadas 551 ocorrências suspeitas – em 2011, foram 283, totalizando um aumento de 94,70%.

Apesar do avanço, Alagoas conseguiu reduzir a letalidade da doença. De acordo com a superintendente, a queda no número de óbitos foi de 31,71%, com 13 confirmados em 2012 contra 20 em 2011. “Isso significa que melhoramos o diagnóstico e o tratamento da doença. Realizamos treinamentos com enfermeiros, agentes de saúde e médicos para isso”, destaca.

Ela esclarece que as estatísticas são diferentes das divulgadas pelo Ministério da Saúde, já que o Estado utiliza duas tabelas para contabilizar os casos. “O ministério detectou menos mortes em 2011 e 2012, pois os dados chegam para a Sesau semanalmente, enquanto para o Governo Federal isso só acontece mensalmente”, diz a gestora.

Por Agência Alagoas

Comentários