Alagoas é o 3º estado com maior aumento no índice de conclusão do Ensino Médio

18 dez 2018 - 16:26

Foto: José Demétrio / Agência Alagoas

A Secretaria de Estado de Educação de Alagoas (SEE-AL) comemorou dados divulgados nesta terça-feira (18), pelo Instituto Todos Pela Educação, no qual mostram que o estado nordestino teve o terceiro maior aumento no índice de conclusão de alunos no Ensino Médio.

Alagoas ficou atrás apenas de Pernambuco e Mato Grosso do Sul, no ranking dos estados que melhoraram  o percentual de concluintes até os 19 anos entre 2012 e 2018. Para a SEE, o avanço é reflexo de políticas educacionais adotadas para diminuir o abandono e evasão dos jovens.

A pasta do Governo indica que em 2014, no início da gestão Renan Filho, o índice de conclusão do Ensino Médio até os 19 anos de idade era de 34,9%, equivalente a 19.303 estudantes. Em 2018, esse número passou para 51,7% dos jovens nessa idade, um total de 30.677.

A SEE aponta ainda que o avanço da educação no estado estão ligados aos Programa Escola 10, o Programa Alagoano de Ensino Integral (Palei), além dos investimentos em infraestrutura.

“O estímulo à inovação e o incentivo ao protagonismo juvenil também se mostram como alguns dos fatores decisivos para a continuidade dos estudos”, diz a assessoria da Educação.

Escola 10

O programa, lançado em 2017, constitui um pacto firmado entre Estado e municípios para a melhora dos índices educacionais em Alagoas. Abraçado pelas 102 cidades do estado, o Escola 10 já apresentou bons frutos desde sua aplicação.

Por meio de acompanhamento pedagógico de todas as escolas públicas, adoção da realização da Prova Alagoas, designação de articuladores de ensino, fornecimento de materiais didáticos complementares e formações contínuas para os profissionais da educação, o programa se mostra eficaz para a melhoria do ensino alagoano.

O principal fruto advindo do Programa é a saída de Alagoas da 26ª para a 20ª posição do ranking nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Na avaliação, as redes públicas saíram da média de 4,3 para 4,9 – sozinha, a rede estadual saiu de 4,1 para 4,9, ultrapassando a meta estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Além de representar aumento nos índices educacionais, o Escola 10 dá autonomia para as unidades da rede pública, descentralizando os recursos que cada uma recebe e buscando, dentro das escolas e centros de educação, propostas e soluções para o melhoramento do ensino básico.

O resultado positivo em relação à educação ocasionou a transformação do programa em Projeto de Lei, assinado no final de novembro pelo então governador em exercício, Luciano Barbosa, que comandou a Seduc por três anos e meio.

Programa Alagoano de Ensino Integral

Implantado desde 2015, na época abrangendo somente a Escola Estadual Marcos Antônio Cavalcanti Silva, o Programa Alagoano de Ensino Integral (Palei) surgiu como um experimento. Desde então, o Palei cresceu vertiginosamente e hoje contempla 50 escolas, de ensino fundamental e médio, em 28 municípios do território alagoano. No próximo ano, mais três escolas ofertarão o ensino integral no interior e na capital.

O Palei tem como proposta a complementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) com disciplinas eletivas, que trabalham para o desenvolvimento psicossocial dos estudantes da modalidade, ampliando o aprendizado e desempenho dos alunos dentro e fora da sala de aula.

Da Redação com Assessoria SEE

Comentários