AL Previdência é 1ª lugar do Nordeste no Indicador de Situação Previdenciária Nos últimos anos, gestão obteve o selo Pró-Gestão, aplicou nova avaliação atuarial e empreendeu esforços no ajuste fiscal

04 nov 2020 - 19:30

Os resultados sempre aparecem depois de muito trabalho e dedicação. E assim está ocorrendo com relação à gestão da Alagoas Previdência, que vem despontando no cenário nacional. Dessa vez, a autarquia, que administra o regime próprio de previdência dos servidores do Estado de Alagoas, manteve a primeira colocação entre as previdências estaduais no Nordeste e a 4ª posição em nível nacional no Indicador de Situação Previdenciária de Regimes Próprios de Previdência Social (ISP-RPPS), com classificação B.

Nos níveis da classificação, a Alagoas Previdência aparece com quatro notas A nos requisitos: Indicador de Acumulação de Recursos, Indicador de Cobertura Previdenciária, Classificação em Atuária e Classificação em Finanças e Liquidez.

O ISP-RPPS, divulgado em julho deste ano e que teve alguns ajustes, é fornecido anualmente pela Subsecretaria de Regimes Próprios de Previdência Social, do Ministério da Economia.

Para o presidente da Alagoas Previdência, Roberto Moisés, a busca pela melhoria da gestão – com obtenção do selo Pró-Gestão, maior controle interno, governança, educação previdenciária, aplicação de nova avaliação atuarial e, principalmente, esforços de ajuste fiscal e implantação da reforma da previdência estadual – contribuíram para a autarquia alagoana subir ao pódio.

“É uma satisfação enorme vê que o nosso trabalho tem dado frutos. Estamos investindo todos os esforços para que em 2021 tenhamos a classificação A em todos os requisitos avaliados”, destacou Moisés.

A elevação do Estado no ISP-RPPS promove mais segurança para os beneficiários, solvência e sustentabilidade. “Com esse resultado, Alagoas continua a ser referência nacional e exemplo para os demais”, disse Moisés.

ISP-RPPS

O ISP-RPPS foi instituído pela Secretaria de Previdência, do Ministério da Economia, e avalia os aspectos relacionados à transparência e gestão, a situação financeira e atuarial do regime próprio de previdência.

O indicador, a partir de 2019, passou a considerar a melhoria de gestão com base no Pró-Gestão em um de seus indicadores, conjugado com maior foco na situação financeira e atuarial dos RPPS.

A ideia do indicador é fornecer critérios de análise mais objetivos sobre a real situação do RPPS, possibilitando a comparação com os de outros entes da federação e dando maior visibilidade social e transparência sobre o desempenho da gestão.

Por Lilian Tourinho / Agência Alagoas

Comentários