“Ainda não há prova de crime político”, diz PC sobre atentado contra gestor sertanejo

29 jul 2019 - 07:52


Prefeito de Ouro Branco sofreu atentado à bala (Foto: Reprodução / Facebook)

A Polícia Civil emitiu uma nota de esclarecimento neste domingo (28) após a veiculação de uma reportagem do jornal Gazeta de Alagoas, no qual aborda suspeita de crimes de mando contra dois prefeitos alagoanos, um deles de Ouro Branco, no Médio Sertão.

Edimar Barbosa foi vítima de disparos de arma de fogo no último dia 11 do corrente mês, quando trafegava próximo ao povoado Capiazinho, zona rural do município sertanejo.

O delegado Hugo Leonardo, regional de Santana do Ipanema, foi designado por meio de portaria para atuar na investigação do caso. Ele disse que além do político, várias pessoas foram ouvidas.

A autoridade policial relatou que o fato contra o prefeito aconteceu em uma área com pouca iluminação e a princípio sem testemunhas, dando um grau de dificuldade maior ao levantamento de provas que contribuam para o esclarecimento do episódio de forma mais célere.

O delegado disse que mesmo assim, desde o início, nenhuma linha de investigação é descartada podendo até ser uma tentativa de assalto, possibilidade também investigada. O inquérito policial deve ser concluído nos próximos dias.

“Já foram ouvidas várias pessoas e não há nenhum elemento de prova que indique atentado contra o prefeito”, frisou o delegado regional de Santana do Ipanema.

De acordo ele, as investigações indicam que o episódio foi uma tentativa de roubo e, por coincidência, a vítima que ia passando pela estrada vicinal da zona rural de Ouro Branco, já na divisa com Pernambuco, no dia do fato foi o prefeito do município.

“Até o momento não há nenhum elemento de prova que evidencie que o ocorrido contra o prefeito Edimar tratou-se de um crime de conotação política”, esclareceu o delegado Leonardo.

“No entanto, as investigações continuam, pois qualquer cidadão que tentar infringir as leis atentando contra qualquer pessoa, seja autoridade pública ou não, será punido no rigor da lei”, destacou.

O delegado Hugo Leonardo enfatizou ainda que a Polícia Civil segue firme nas investigações com o objetivo de obter os detalhes pormenorizados do ocorrido, e apresentar, com a maior brevidade possível, as causas e os autores desse fato.

Da Redação com Assessoria PC-AL

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.