Ação de estudante da Ufal faz inovação em Educação Física de Arapiraca “As atividades práticas têm um enorme peso para as reflexões teóricas realizadas durante a formação", relatou um dos professores do universitário.

18 dez 2020 - 09:32

Foto: Divulgação / Ufal

O isolamento social trouxe profundas mudanças no cotidiano da sociedade e, não foi diferente, nas rotinas da Universidade Federal de Alagoas: foi um forte impacto causado à comunidade acadêmica, especialmente pela suspensão do semestre letivo. Para a adequação das atividades acadêmicas, no “novo normal”, a Ufal implantou o Período Letivo Excepcional (PLE), com aulas on-line iniciadas em outubro e já em reta final, nos quatro campi – Maceió, Rio Largo, Arapiraca e Delmiro e respectivas unidades.

A atividade acadêmica consistiu em mais um desafio, mas o enfrentamento à realidade em tempos de pandemia de coronavírus colheu também aprendizados e experiências exitosas. Uma das marcantes experiências ocorreu no curso de Educação Física do Campus Arapiraca, por meio do Programa de Monitoria on-line, conduzida pelo aluno do 6º período José Ywgne Vieira do Nascimento. Ele teve a iniciativa de aproveitar o edital aberto para a atividade acadêmica e otimizou o uso de recursos tecnológicos para atuar como monitor. A proposta efetivada causou tanta positividade no curso que proporcionou a oferta de uma disciplina denominada de Estudos aprofundados em Educação Física compartilhada por todos os docentes no PLE e inserida no Projeto Pedagógico Curricular (PPC).

Sobre a inovação, a partir da exitosa iniciativa do estudante, o coordenador do curso, Bruno Giudecelli, faz uma breve retrospectiva do empenho do estudante para a construção de uma proposta relacionada à monitoria on-line, solicitando a colaboração e orientação de docentes para essa finalidade.

“O estudante José Ywgne acelerou o acúmulo de experiências com tecnologias que podem ser utilizadas para o ensino remoto, apesar de já utilizadas em alguma medida. A iniciativa dele trouxe urgência para que aprofundássemos nossa compreensão sobre a utilização de recursos tecnológicos. Docentes diretamente envolvidos na monitoria on-line, eu e o professor Arnaldo Júnior, como colaboradores, e o professor Leonardo Luz, como orientador, não podíamos negar a solicitação do estudante para desenvolver uma prática acadêmica que naturalmente trouxe a ampliação de práticas pedagógicas do curso, promovendo inovação”, explicou Giudecelli.

O coordenador reforça que a ideia de colaboração de três docentes no auxílio ao estudante mostrou também como poderia ser interessante uma disciplina compartilhada, mas não no modelo onde um professor passa um período com a turma ministrando algum conteúdo, seguido por outro docente, em momento seguinte. O fato de ser on-line permitiu desenvolver a disciplina na forma de debate, que se deu, simultaneamente, entre os estudantes participantes e os três docentes, tendo José Ywgne como monitor responsável.

“Isso culminou com a ideia de, no último dia de aula da monitoria on-line, convidarmos os demais professores do curso para o debate, encerrando de forma excelente a monitoria muito bem conduzida pelo estudante. Com a aprovação do PLE, apesar de todos os problemas, a ideia de ofertar uma disciplina com a participação simultânea de todos os docentes do curso, para debater um tema a cada semana, foi consensual no Colegiado. E está sendo muito proveitosa”, afirmou Giudecelli.

As disciplinas ofertadas pelo curso de Educação Física de Arapiraca no PLE, totalizaram 349 matrículas e a dinâmica da monitoria on-line, a partir do plano institucional elaborado para a sua execução, possibilitou que cada docente construísse o seu respectivo plano para o atendimento às demandas específicas das disciplinas ofertadas. Segundo Giudecelli, a primeira experiência on-line de monitoria, fruto da iniciativa de José Ywgne e conduzida pelo estudante foi dotada de atividades dinâmicas. A exemplo de realização de debates em um fórum de discussão, sob sua condução, que envolveu ativamente a comunidade acadêmica do curso. A experiência teve bastante influência na execução de outro plano distinto ao elaborado pelo estudante.

Mesmo reconhecendo que a excelente experiência on-line, a partir da iniciativa do estudante José Ywgne, dentro do PLE ofertado, causou inovação e impacto positivo, o coordenador Bruno Giudecelli aproveita para dizer do quanto é importante o desenvolvimento das atividades presenciais para um curso como o de Educação Física.

“As atividades práticas têm um enorme peso para as reflexões teóricas realizadas durante a formação. Causa-me preocupação os discursos que colocam as atividades on-line, síncronas ou não, no mesmo nível de qualidade das atividades presenciais. Não podemos esquecer que, mesmo no ensino híbrido, as atividades on-line deverão ser utilizadas como facilitadoras da prática pedagógica e não como mais um fator de precarização do ensino público”, opinou.

Desafios e mudanças

Conseguir estar mentalmente bem é considerado por José como o principal desafio para ele em tempos de mudança de rotina em sua vida acadêmica e pessoal, imposta pela pandemia. Segundo o estudante, além de todos os receios com a decretação da quarentena, em março, e consequente suspensão de aulas, aumentaram as incertezas. E faz uma retrospectiva da inesperada mudança:

“A Ufal estava prestes a organizar o calendário acadêmico e eu, começando o 6º período, fazia planos para terminar a graduação em junho de 2021. Adiantei meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e fiz a qualificação no quinto período pensando em defendê-lo antes do oitavo, para então ir desenvolvendo o meu trabalho com calma. Porém, de uma hora para outra, tudo mudou, e foi muito complicado para mim”, disse o dedicado estudante.

Segundo José, o edital da Pró-reitoria de Graduação (Prograd) com a abertura para monitoria on-line veio em um momento muito importante e oportuno para ele, e do quanto representava, naquele momento, a proposta de monitoria intitulada Educação Física na promoção da saúde para a “reviravolta” necessária e otimização acadêmica, utilizando a tecnologia. Realidade assimilada, José Ywgne passou a se dedicar à elaboração e consolidação da proposta, levando-a à prática.

“Fiz um esboço da proposta de monitoria, escolhi conteúdos que fossem da área de pesquisa pretendida para atuar, mas sempre levando esse conteúdo para a escola. Levei ao conhecimento do professor Leonardo Luz, meu orientador, que concordou com a minha iniciativa e juntos nos reunimos com os professores Bruno Giudicelli e Arnaldo Júnior, ambos convidados para fazer parte da citada monitoria. Alinhamos as ideias, discutimos o que poderia ser mudado, até chegar na proposta final”, relembrou.

A intensa jornada para atingir o propósito foi dotada de aula de apresentação, 12 encontros em um período de um mês e minicursos, às terças-feiras, com variadas temáticas pela plataforma zoom ofertados pelo estudante. A cada minicurso, realização de um Fórum de Discussões, aberto à participação pelo Google sala de aula. As perguntas e comentários formulados eram encaminhados aos professores participantes da monitoria específica, para preparação de lives esclarecedoras e informativas.

José acrescenta que a experiência foi muito enriquecedora, tanto pessoal, quanto profissional, por ter possibilitado que ministrasse aulas para colegas de curso e ter o feedback deles após as aulas. Ao tempo em que comemora a ideia inovadora, José enaltece a orientação recebida pelos professores Bruno, Arnaldo e Leonardo.

O estudante reforça que a monitoria on-line foi um “divisor de águas” em sua graduação pela oportunidade de ensinamento e aprendizado. Ao ser perguntado sobre a ideia de uma proposta que promovesse, simultaneamente, a participação do corpo docente do curso na atividade acadêmica, disse que surgiu a partir da realização de uma live. E explica:

“Nossa monitoria contava com um monitor e três orientadores. Outra professora nos acompanhou como participante. Por que não convidar os demais professores? O convite foi feito e resultou em sucesso, pela grande interação existente, om discussão de um mesmo assunto por diferentes pontos de vista, sem fugir do foco, promoção da saúde na escola. Quando o PLE foi lançado os professores criaram a disciplina chamada Estudos aprofundados em Educação Física. A dinâmica envolve a participação de todos os docentes, um dia, para cada um, resultando em enriquecedoras discussões”, comemorou José.

Futuro

Com uma dinâmica vida universitária, José Ywgne Nascimento é bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e, sob a orientação do professor Leonardo Luz, integra a equipe que desenvolve a pesquisa Determinantes de um estilo de vida saudável em adolescentes de Arapiraca. De olho na carreira acadêmica, mestrado e doutorado estão planejados na continuidade de sua formação, vislumbrando o desejado ingresso no quadro docente da Ufal, onde mais deseja, em sua terra natal, Arapiraca, realizando, dessa forma, seu grande sonho.

Sobre jovens que abraçaram a Educação Física como futura profissão, o estudante deixa uma mensagem de estímulo: “Quando fazemos o que gostamos temos forças para superar as dificuldades. A Educação Física precisa de pessoas que lutem por ela, que mostrem para o mundo o seu real valor. Seja na escola ou não, é uma profissão que muda vidas e devemos sempre buscar dar o nosso melhor para que a mudança aconteça. Vivam a universidade! Busquem o que a Educação Física pode proporcionar. Aproveitem as oportunidades e, se é o sonho, nunca desistam dele”, finalizou.

Por Diana Monteiro / Assessoria UFAL

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.