“A gente trabalha p/ sustentar senhores do governo”, desabafa empresário santanense

02 jun 2020 - 15:13

Revoltado, o comerciante gravou um vídeo falando sobre o episódio (Foto: Reprodução)

Um comerciante de Santana do Ipanema decidiu abrir o verbo e falar das dificuldades que ele sua empresa tem passado nesse período de pandemia da Covid-19. A manifestação aconteceu nesta terça-feira (2), através da rádio Milênio FM, no programa Liberdade de Expressão.

Jorge Lourenço Santos Júnior, mais conhecido como “Juca”, é proprietário da loja Alagoas Eletrolar, situada no centro da cidade. Ele relatou um episódio recente, no qual foi notificado pela equipe da Vigilância Sanitária, acusado de descumprir o decreto do Governo do Estado. Ele tentou justificar, mas ainda sim foi notificado.

“Eu estava fazendo carga e descarga e convidei o pessoal da vigilância para entrar na loja e verificar se existia alguém que seja cliente. Se tiver algum, eu dou toda razão de vocês multarem. Outra coisa, fiz questão de mostrar todas as carteiras de trabalhos dos funcionários que estavam dentro da loja”, disse Juca.

O empresário continuou: “Estamos seguindo o decreto, estamos respeitando a lei, relevem o nosso caso. Se você viu a porta aberta é porque não temos como passar o produto pelo teto. A gente tem que passar pela porta, por isso ela está aberta”, relembrou.

Apesar das alegações, o comerciante contou que não foi suficiente e recebeu a resposta que levaria a multa. Revoltado, ele gravou um vídeo, no qual contou o episódio e que acabou viralizando em grupos de whatsApp e outras mídias sociais. Veja abaixo:


No relato de hoje, feito a rádio, Juca disse que sua fala é um desabafo de um comerciante que já vem enfrentando as dificuldades, antes devido a enchente, e agora vieram os problemas da pandemia.

“A gente já passa dificuldade, o comércio todo passa dificuldade. Eu acho assim, eu entendo o problema da pandemia, e eles sabem que a gente respeita, que é o momento da gente se resguardar, mas deixar o trabalhador sem o pão de cada dia, deixar de dar oportunidade da gente trabalhar, isso é fora do comum”, disse.

Ainda em tom de desabafo, o santanense se queixou da obrigatoriedade em ter que pagar seus impostos, mas não ver retorno por parte do poder público. “A gente trabalha para sustentar esses senhores aí do governo, seja municipal, seja estadual, e [eles não fazem] nada pela gente? A situação do comerciante brasileiro é difícil”.

“Muitos clientes chegam e dizem: ‘cara, você é o dono’. Aí eu respondo: não, eu sou funcionário, eu administro para o governo, pois o que acontece é isso mesmo. Os caras não dão suporte, não dão nada, mas eu tenho que contribuir. Quando eu preciso da ajuda, nada é pela gente. Eu estou dando o desabafo que muito comerciante queria fazer, mas infelizmente tem medo ou vergonha”, completou.

O áudio completo com a entrevista de Juca a rádio Milênio pode ser conferido abaixo:

 

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários