Sindpol crê em investigação isenta sobre crimes em Batalha

14 nov 2017 - 08:09

Ricardo Nazário garante que a apuração será veemente e que os culpados devem pagar (Foto: Ascom/Sindpol)

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, afirma que a entidade só vai se pronunciar sobre o suposto envolvimento de um agente de polícia no assassinato do vereador da cidade de Batalha, Adelmo Rodrigues de Melo – conhecido como Neguinho Boiadeiro – após a conclusão das investigações. Segundo ele, o sindicato confia na isenção da apuração do crime, ocorrido no último dia 9.

Durante o sepultamento de Neguinho Boiadeiro, realizado na última sexta-feira (10) em Craíbas, sua família afirmou que o policial civil Eudson Matos foi um dos responsáveis pelo assassinato do parlamentar. Ele é filho de Edvaldo Joaquim de Matos, sargento reformado da Polícia Militar – à época segurança de Paulo Dantas, então prefeito de Batalha e filho do presidente da Assembleia Legislativa (ALE) Luiz Dantas (PMDB) – assassinado em 2006 por Emanuel Boiadeiro.

“O Sindpol acredita na isenção das investigações. Queremos que se apure com veemência e quem for culpado que pague. Mas pode ser que, no calor da emoção, a família, por querer de imediato a prisão do autor do crime, tenha colocado alguém na cena do crime sem que se tenha nada a ver com a situação. Até que ponto o policial [Eudson Matos] está envolvido, se é que está, se foi autor ou mandante? Ninguém sabe ainda”, comenta Ricardo Nazário.

Veja matéria completa no Tribuna Hoje

Comentários