Santana: Vereadores batem boca no plenário; “Isso é pessoal?”, diz um deles

02 dez 2016 - 16:48

Luciano Gaia e Papa Tudo protagonizaram mais um confronto na Casa Tácio Chagas Duarte.

Papa Tudo foi indagado mais uma vez por Luciano (Foto: Lucas Malta / Alagoas na Net)

Papa Tudo foi indagado mais uma vez por Luciano (Foto: Lucas Malta / Alagoas na Net)

A pouco menos de um mês para terminar seu mandato, o vereador com maior número de legislaturas, Luciano Gaia (PP) não está dando trégua ao presidente da Casa Tácio Chagas Duarte, o vereador Genildo Bezerra (PR), o popular Papa Tudo.

Na sessão ordinária desta sexta-feira (2) os dois parlamentares protagonizaram mais uma nova cena de debate. Desta vez, enquanto outros colegas de parlamento falavam da polêmica envolvendo o hospital, Gaia decidiu voltar a criticar o presidente pela falta de transparência na Câmara.

O parlamentar usou os dois expedientes (pequeno e grande) para manifestar sua insatisfação. No primeiro ele falou: “A mais de 30 dias eu peço as contas e não é apresentada. Sua excelência é um perseguidor. O senhor tirou o pão de cada dia das pessoas que eu coloquei”, reclamou o vereador.

Logo veio a resposta do presidente, acompanhada de uma recomendação. “O requerimento do senhor será atendido no prazo correto. O senhor tem todo direito de falar, mas se faltar com respeito terei que cumprir as medidas necessárias. Vou dizer novamente, não fui reeleito pra bater boca. O hospital passando por problemas e o senhor vem falar de coisas particulares”, retrucou Papa Tudo.

RELEMBRE OUTRAS BRIGAS

Vereador critica diz querer “Gecoc” na Câmara

“Aqui o dinheiro está sobrando”, diz Luciano

Vereador critica ex-aliados e tem resposta

Presidente da Casa é chamado de caloteiro e fujão

Vereadores voltam a ‘lavar roupa suja’ em sessão

Luciano Gaia insistiu na critica e continuou: “Não me abala as palavras dirigidas, pois mostro o que é a realidade. Pior é na Câmara [Federal], que chamam os outros de ladrão. Aqui ainda não cheguei a esse ponto, pois ainda não vi as contas”, falou novamente o chamado “Dinossauro da Câmara de Santana”.

Pela segunda ele recebeu respostas do presidente da Mesa Diretora: “Me surpreende o senhor na sua idade, poder terminar seu trabalho mostrando tudo o que fez, mas ao invés disso vem aqui para a tribuna falar inverdades. Não irei ser desmoralizado por ninguém nessa casa”, respondeu novamente Papa Tudo.

Não satisfeito, quando estava na parte debaixo do plenário Gaia teria solicitado um aparte do vereador Zé Vaz, que iria começar seu discurso. Foi quando sem os microfones ligados o presidente da Casa decidiu indagar: “[isso] É pessoal? Vamos discutir Santana”, disse Papa Tudo, olhando para Gaia.

Já em frente ao microfone, e no começo se seu discurso, o vereador José Vaz lamentou o embate dos colegas parlamentares e passou o recado: “Roupa suja se lava em casa!”, ponderou, silenciando a voz dos dois debatedores.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários