Santana: Após parar em frente a rampa de deficiente, vereador é acusado de xingar cadeirante

23 set 2013 - 01:04

Ivângelo Nunes, presidente da Associação dos deficientes Físicos de Santana do Ipanema, acusa o vereador Luciano Gaia (PR) de agressão, depois de pedir que o mesmo retirasse seu veículo de uma rampa para cadeirante.

Foto: Alagoas na Net

Foto: Alagoas na Net

Em pleno Dia Nacional de Luta das Pessoas Deficientes, um caso lamentável acabou sendo registrado por portador de deficiência física da cidade de Santana do Ipanema, no Sertão de Alagoas.

É o que conta Ivângelo Nunes, presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Santana do Ipanema (Adefissi), que se mostrou bastante indignado ao relembrar à nossa reportagem a situação em que acabou passando na noite do último sábado (21), exatamente após as homenagens realizadas pelo Poder Executivo santanense ao Dia Nacional de Luta das Pessoas Deficientes, ocorrido na Praça Dr. Adelson Isaac de Miranda.

Conforme Ivângelo, ao se dirigir ao local de uma rampa para cadeirante, acabou sendo esbarrado por um veículo estacionado em frente à mesma. Por se tratar de um município pequeno, onde muita gente se conhece, o deficiente perguntou a populares sobre quem seria o proprietário daquele carro, e para sua surpresa descobriu que o veículo era do vereador por Santana do Ipanema Luciano Gaia.

Ivângelo conta que pediu para alguém informar ao proprietário para que retirasse o carro do local, pois precisava descer a calçada. Minutos após outra pessoa apareceu a fim de retirar o veículo, no entanto, não conformado, Invângelo solicitou a presença do político a fim de questioná-lo em relação aquela situação constrangedora.

De acordo com o presidente da Adefissi, ao se deparar com o parlamentar, o questionou: “que exemplo o senhor está dando, colocando o carro no lugar da rampa pra deficiente?”. Ivângelo conta que a resposta do vereador veio por meio de agressões verbais, onde inclusive lhe desferiu diversas palavras de baixo calão.

“Eu estava na presença de outro colega deficiente, uma senhora de idade e uma criança. Nunca eu esperava que o vereador fosse agir daquela forma”, conta o presidente da Adefissi. Nunes falou que, mesmo após o vereador entrar no veículo ele o questionou pela segunda vez: “vereador, eu sou um homem e mereço respeito”.

“Ainda assim ele me xingou e esbravejou para todo mundo ouvir, dizendo que eu era um ‘aleijado safado’”, conta a vítima.

Envergonhado com toda a situação, Ivângelo relatou que foi até questionado por um popular que viu toda a cena. “Se eu fosse você eu processaria esse vereador, que tamanho desrespeito”, disse o morador ao deficiente.

Foto: Ivângelo Nunes

Foto: Ivângelo Nunes

O outro lado

Para responder tais acusações, nossa reportagem entrou em contato com o vereador Luciano Gaia, que assumiu ter colocado o veículo na vaga para deficiente, mas que segundo ele, Ivângelo se mostrou “uma pessoa desequilibrada”.

“Eu cheguei na praça para fazer um lanche e olhei pra cima e não vi a faixa (sic) de cadeirante. Alguns minutos depois uma pessoa veio me dizer que estavam filmando meu carro e que eu mesmo é que fosse retirar o veículo”, relatou o vereador.

Ao ser perguntado se o mesmo teria xingado o deficiente, o vereador respondeu: “ele disse que poderia me processar, aí eu apenas falei: vá tomar uma água… ou, vamos dizer assim, um suco. Tirei o meu carro e voltei pra o meu lugar”, se defende o vereador.

Ainda indagado sobre os questionamentos do deficiente, Luciano informou que Ivângelo estaria desequilibrado e que agiu de forma muito deselegante. “Achei ele uma pessoa, assim, desequilibrada; que me conhece; sabe que sou um filho daqui [Santana], uma pessoa maleável, (…) achei tão deselegante pra ele como deficiente. Aí disse assim: Deus sabe o que faz”, relatou o vereador.

Por fim, nossa reportagem informou ao parlamentar que o deficiente teria prometido procurar a Justiça e a própria Câmara de Vereadores para representá-lo, inclusive com uma possível quebra de decoro parlamentar. Sobre isso Luciano foi enfático e respondeu: “Ele não tem esse privilégio de chegar à Câmara de Vereadores, lá quem tem o poder, somos nós. Ele não pode chegar e representar nada não, e digo que nenhum dos meus colegas vai aceitar isso não”, finalizou Luciano Gaia.

Da Redação

Comentários