Sobre Clerisvaldo Chagas

Romancista, historiador, poeta, cronista. Escritor Símbolo do Sertão Alagoano.


OS HOMENS DA MATEMÁTICA EM SANTANA

11 outubro 2017


Foto: Ilustração

Detesto essa tal Matemática, mas tenho comigo que os versados na Matéria são cabras inteligentes. Fui consorciando com alguns colegas quando a danada aparecia, para conseguir chegar às aprovações. Tome Geografia, História, Redação… Dê-me Matemática. Foi assim com Renato Cavalcante, com José Ialdo Aquino e com José Maria Amorim, respectivamente, colegas em diferentes etapas de estudos.

Mas quanto aos professores, lembro-me da fase de Admissão ao Ginásio e do próprio Curso Ginasial. O professor Aloísio Ernande Brandão, estava sempre presente lecionando História, Geografia e Matemática. E às vezes eu ficava pensando como cabia tanta inteligência naquela cabeça pequena.

Por isso ou por aquilo, no deparamos com outro professor de matemática, cujo nome era Genival. Parece-me que o homem trabalhava no IBGE. Mas o Ginásio Santana funcionava à base de colaboração de pessoas como comerciantes, bancários, comerciários e outros com algum saber. (Aliás, fui professor ali de Ciências, Biologia, História e Geografia. Minha esposa tomou conta de turmas durante anos, mas nunca fomos reconhecidos).

Voltando ao Genival, era um senhor de meia idade, magro e calado. Gostava de beber umas e outras e vezes sem conta chegou embriagado no estabelecimento. Nessas ocasiões, tremia muito e derrubava o giz constantemente. Era uma situação de constrangimento, mas meus colegas afirmavam que quanto mais bêbado, mais eficiência havia nas aulas de Genival Copinho. Uma excelente pessoa.

Depois chegou da cidade de Capela, o professor Eli. Trazia Matemática suficiente para o Curso Médio e tornou-se fonte de consultas dos demais. Ernande, após a sua passagem, foi homenageado merecidamente com nome  de Colégio no Bairro Camoxinga. O anexo do Colégio Estadual, apelidado Cepinha, foi desmembrado e ganhou o nome de Escola Estadual Prof. Aloísio Ernande Brandão. (Fui professor em todas elas). Sempre com tendência apenas para as Ciências Sociais, não posso deixar de admirar os amantes da Matemática, da Química, da Física e dos seus desdobramentos modernos das grandes invenções e descobertas. 

Matemática não mudou, continua sendo a mesma MATAMATA do passado.

Clerisvaldo B. Chagas, 11 de outubro de 2017

Crônica 1.756 – Escritor Símbolo do Sertão Alagoano