Santana: “Estamos com os piores salários da Região”, diz dirigente do Sinteal

07 fev 2018 - 10:30

Presidente dio Sinteal falou em emissora de rádio (Foto: Lucas Malta / Alagoas na Net / Arquivo)

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal) – Núcleo Santana voltou a criticar a postura do prefeito Isnaldo Bulhões (MDB) para com os pleitos da categoria. Em entrevista nesta quarta-feira (7), a presidente Cristina Alves, disse que “o silêncio da gestão chega a ofender”.

A dirigente sindical conversou com o repórter Emílio Souza, durante o programa Liberdade de Expressão, da Rádio Milênio. Cristina foi convidar os professores para uma assembleia nesta quinta-feira (8), na qual será decidida as ações da classe diante da postura da Prefeitura.

Segundo Cristina, desde 2015 os docentes não conseguem reajuste, mas ao mesmo tempo diversas pendências, identificadas pelo próprio Sinteal, ainda não foram sanadas pelo Poder Executivo.

“Há mais de 10 anos o município vem mantendo profissionais sem trabalhar. Se eles têm direito a se afastar, que seja feito de maneira legal. O problema é que as gestões ficam muito a vontade, por conta da morosidade na fiscalização”, disse.

A presidente do Núcleo também lembrou que Santana vive uma situação ainda pior que outros municípios vizinhos. “Na região estamos com os piores salários. Precisamos reavaliar o que é reconstruir”, reforçou a sindicalista, ao citar o slogan da atual gestão municipal.

Perseguição

Ainda durante a entrevista, Cristina citou que tem recebido muitas demandas dos colegas, mas que os próprios temem uma possível perseguição política. “Isso tinha passado aqui. Essa situação ainda perdura em municípios menores, mas aqui, em Santana, não podemos ter medo de dar opinião”, falou.

Para servidores interessados em participar da assembleia, a reunião está marcada para ás 9h, no auditório da Escola Municipal Iracema Salgueiro, situada na Rua Martins Vieira, no Monumento.

Secretária e prefeito

Na ultima segunda-feira (7), o site Alagoas na Net ouviu a secretária Municipal de Educação Jacqueline Damasceno e questionou sobre as cobranças do Sinteal. A titular informou que estava para se encontrar com o prefeito e poder decidir o que contemplar dos pleitos da categoria. RELEMBRE.

Por Lucas Malta / da Redação 

Comentários