Postado em 8/02/2014 às 19:47
  • Promova

Intenção de Compra das Famílias de Maceió recua no início do ano

Se comparado ao mês de janeiro de 2013, o índice registrou queda de 5,7%, já que no ano passado foi de 138,1 pontos.

Foto: Divulgação / Fecormércio

Foto: Divulgação / Fecormércio

A pesquisa sobre a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de Maceió indicou um comportamento mais conservador por parte dos consumidores durante o primeiro mês do ano. O índice recuou, comparado ao mês de dezembro de 2013.

O estudo é desenvolvido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com Instituto Fecomércio/AL de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento (IFEPD).

De acordo com a análise do Instituto Fecomércio, os consumidores estão mais cautelosos no momento de realizar novas compras, principalmente aqueles na faixa de renda de até dez salários mínimos. Isso está associado à necessidade de maior controle do nível de endividamento e gerenciamento das finanças pessoais.

Em dezembro de 2013, o indicador alcançou 135,9 pontos, dentro da média do ano pontos. Em janeiro de 2014, o índice recuou para 130,2 pontos, em termos percentuais uma queda de 4,2%. Se comparado ao mês de janeiro de 2013, o índice também registrou queda de 5,7%, já que no ano passado foi de 138,1 pontos.

A pesquisa confirma a hipótese de que o consumidor está mais preocupado em solucionar os problemas financeiros do que realizar compras adquirindo dívidas novas, ao menos no início do ano.

Diferentes faixas salariais

O resultado do ICF foi mais conservador no grupo de famílias com renda de até dez salários mínimos. Nesse segmento, o ICF passou de 134,5 para 128,3 pontos, um recuo de 4,6%.

Entre as famílias que recebem mais dez salários mínimos, o índice – pelo contrário – aumentou de 157,1 para 158,6 pontos, ou seja, 1% de incremento. O resultado condiz com a explicação que os consumidores de baixa renda estão mais cautelosos em realizar compras para não se endividarem desnecessariamente.

Como funciona

O indicador tem capacidade de medir a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida da família, como a capacidade de consumo atual e de curto prazo, nível de renda doméstico, segurança no emprego e qualidade de consumo, presente e futuro.

O ICF varia de 0 a 200 pontos sendo que acima de 100 a expectativa é considerada positiva.

CLIQUE AQUI e veja a pesquisa completa.

Da Redação com Assessoria Fecomércio

Nenhum Comentário

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário