12 maio

Comentários desativados em Profissões do futuro

Profissões do futuro

O governo britânico encomendou ao grupo Fast Future a pesquisa The Shape of Jobs to Come (A forma dos empregos que virão), esse estudo foi realizado com 486 participantes de 58 países em 6 continentes para elencar quais seriam as profissões dominantes nos próximos 20 anos.

Segundo a pesquisa, uma das áreas que vai gerar mais empregos até 2030 será consultoria de bem-estar para idosos, profissionais capazes de articular diversas áreas da saúde para ajudar os idosos do futuro a viver melhor. Aliás, no mundo das novas pro­fissões, articulador virou palavra-chave. Aqueles que souberem unir diferentes áreas do conhecimento para gerar novos serviços, passam a valer ouro. Segue então algumas profissões do futuro:

LlXÓLOGO

Também chamado gestor de resíduos, será o profissional especializado em propor soluções para os detritos do meio urbano, não só das empresas, transformando­ os em fontes energéticas que gerem gás e outras formas limpas de energia. Para se ter uma ideia, o volume de lixo produzido no mundo aumentou três vezes mais do que a população nos últimos 30 anos. Além disso. o aumento da qualidade de vida implica em consumo maior e aumento da montanha de lixo no planeta. Os salários para o gestor de resíduos nas empresas ficam entre R$1O mil e R$14 mil.

Já existem cursos de pós­-graduação para gestão de resíduos, mas ainda não temos no Brasil cursos de graduação na área. O caminho mais fácil para quem quer trabalhar como lixólogo é a graduação em engenharia ambiental ou química e uma especialização nos cursos de pós-graduação focada em gestão de resíduos.

FAZENDEIRO VERTICAL

As fazendas verticais serão edifícios urbanos destinados à produção de hortifrutigranjeiros e os fazendeiros do futuro irão misturar planejamento urbano com agronomia. “Poderemos comer alimentos mais saudá­veis e dos quais sabemos exatamente a procedência.” diz o arquiteto Rafael Grinberg Costa. que está trabalhando no projeto de revitalização de edifícios abandonados em São Paulo.

Alimentar a população de quase 9.1 bilhões de habitantes prevista para os próximos 40 anos será insustentável, segundo a ONU. Não há um curso específico para se tornar fazendeiro verti­cal, mas será necessária uma forte base em agronomia. conhecimentos de engenharia, arquitetura e urbanismo, todos cursos já existentes no Brasil.

FISCAL DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Na previsão dos futurólogos. até o clima será espaço para disputas políticas. É aí que entra o fiscal de alterações climáticas, que irá monitorar em­presas ou órgãos governamentais que tiverem per­missão para fazer alterações meteorológicas. Seria também função dele conceder licenças para inter­venções nos padrões climáticos e evitar ataques terroristas químicos na atmosfera, por exemplo.

Segundo a Fast Future, os primeiros da área devem aparecer por volta de 2020. Profissão que está ape­nas na previsões, os fiscais ainda não chegaram aos meios acadêmicos. Um ponto de partida seriam cur­sos de meteorologia ou gestão ambiental, mais no­ções de legislação na área.

CONSULTOR DE BEM-ESTAR AOS IDOSOS

Profissional da área de saúde dis­posto a construir pontes entre os pacientes da terceira idade e os serviços que podem trazer a eles melhor qualidade de vida. Os cuidados envol­vem o contato com médicos, questões de mo­radia, treinamento esportivo e até de aconse­Ihamento financeiro.

De acordo com a ONU, idosos serão 19% da população em 2050. Por isso, novas doenças crônicas surgem, aumenta o uso de medicamentos e exa­mes. A telemedicina, a transmissão digital de in­formações médicas, vai possibillitar gerenciar à distância a saúde do paciente e dar melhor atendimento aos idosos. Para Chao Lung Wen, presidente do Conselho Brasileiro de Teleme­dicina e Telessaúde, esses estrategistas irão também acompanhar deficientes físicos.

Na Europa, esse pro­fissional já é uma realidade e a tendência deve aparecer por aqui em alguns anos, já que a po­pulação idosa aumenta. Oconsultor de bem-estar pode atuar como autônomo ou ser um as­sociado dos sistemas de saúde.

É mais um articulador, por isso sua formação pode ser em qualquer ra­mo da saúde. O importante é que ele tenha co­nhecimentos das outras áreas. A Faculdade de Medicina da USP já estuda criar um curso de pós-graduação com esse fim.

PERITO FORENSE DIGITAL

Uma mistura de geek com Sher­lock Holmes, o perito busca evidências digi­tais diante das acusações de ataques a ser­vidores e contas bancárias, roubo de dados, pedofilia e outros crimes na rede. Os peritos também se ocupam de encontrar provas pa­ra crimes offline. No Brasil, são registrados 77 mil crimes cibernéticos por dia, segundo pesquisa da Norton. O país tem 40 milhões de usuários de internet, a oitava população cibernética do mundo, segundo a consultoria comScore. 

A profissão já exis­te, mas vai crescer com o aumento do uso de serviços de e-commerce, transações bancá­rias virtuais e o alcance da rede de computa­dores no país. Os concursos da Polícia Fede­ral para preenchimento dos cargos de peritos digitais ficam em torno dos 100 candidatos por vaga. Exigem curso superior em ciência da computação e os salários podem chegar aos R$ 14 mil. O perito tem mesmo que ser um geek, mas também ter uma boa base de direito.

ENGENHEIRO DE SIMULAÇÃO

Profissional responsável por co­ordenar testes virtuais que avaliam os ris­cos e benefícios de um projeto em um am­biente virtual, ou seja, antes que ele seja colocado em prática. Os testes em computadores reduzem o custo das opera­ções em qualquer área. 

Os processos de simulação já estão a todo vapor na indús­tria e tendem a se intensificar nos próximos 20 anos. O que ainda não existe são cargos especificos para essa função, que têm si­do assumidos por engenheiros da compu­tação. Fora do Brasil já existem. Segundo o Departamento de Trabalho Americano, os salários vão de US$ 67 mil a US$113 mil por ano.

É possível formar­ se engenheiro especializado em simulação por meio dos cursos de pós-graduação. Por exemplo, a USP, Unicamp, lTA e universida­des federais do Rio Grande do Sul, Pernam­buco. Minas Gerais e Rio Grande do Norte têm formações na área.

NANOMÉDICO

Vai ser o profissional responsável pela utilização de nanorrobôs e nanopartículas para curar, diagnosticar e prevenir doenças. Poderão atuar em pesquisas, atendimento em consultórios e diagnósticos. A nanomedicina vai desde a reparação de tecidos até as práticas de terapia genética.

Os primeiros nanomé­dicos aparecerão por volta de 2025. Mesmo assim, estudos avançam na área. Cientistas da Universidade da Califórnia já estão utilizando técnicas de nanotecnologia para construir “navios cargueiros” de nanômetros que flutuam pela corrente sanguí­nea a fim de identificar tipos de câncer. A complexidade da formação a coloca entre as profissões mais bem pagas do futuro, segundo a Fast Future.

O profissional deve ser amigável com a química, biologia, robóti­ca e medicina. No Brasil já se pesquisa a aplicação da nanotecnologia na área médica, mas cursos de graduação ainda estão longe de acontecer. A Uni­versidade de Londres tem um centro de estudos no assunto.

 

18 out

Comentários desativados em Entendendo a crise

Entendendo a crise

Neste primeiro texto sobre a crise o foco será interno, ou seja, a crise no Brasil, tanto do ponto de vista econômico, quanto político. Os textos serão curtos e a única tendência que seguirão é a da crítica. Esmiuçar o assunto da forma mais simples.

No atual declínio político-econômico do Brasil, observa-se que o Governo Federal tem anunciado medidas de ajustes fiscais e corte de gastos para se equilibrar na corda bamba [ou atual slackline], porém, será que isso realmente aconterá na prática?

Bem, quando se fala em ajuste fiscal, deve-se entender que são medidas [paliativas] tomadas por um governo para tentar voltar ao azul. Na prática, algumas dessas medidas dependem da aprovação do congresso, como  aumento de tributos, taxas e juros nas mais diversas áreas onde o governo atual e corte de “benefícios”, os quais se incluem os caríssimos cargos comissionados do executivo. Outra medida que não depende da aprovação do congresso, seria a diminuição das despesas discricionárias – despesas não obrigatórias do Governo.

O Governo é obrigado por lei (Constituição Federal) a investir determinada quantia na área da Saúde e Educação. Esses dois ministérios são considerados dos mais caros para o Governo. Logo, não poderiam escapar de cortes. Sempre é possível arrumar um jeitinho na lei para dar uns perdidos, certo? Sim. 

Segundo o próprio Governo, o programa Bolsa Família é considerado prioridade e será mantido intacto. Esse programa, como alguns outros, é bastante criticado por muitas pessoas, principalmente os que se consideram de direita. Eu, sinceramente, já cheguei a conclusões favoráveis e contras. Então prefiro deixar esse tema para outro texto. 

Por outro lado, ocorrerão cortes nos importantes setores habitacional e de infraestrutura. A verba para o programa Minha Casa Minha Vida será congelada. O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) também será congelado. O PAC é o maior programa de infraestrutura do país e possui obras em todo território nacional. Na prática, essas duas medidas significam que o burocrático programa Minha Casa Minha Vida vai reduzir as oportunidades de negócios e que as obras do PAC espalhadas pelo Brasil, que já estavam atrasadas, irão parar de uma vez. 

Lembrando que essas medidas não implicam apenas na estagnação das obras no país, implicam também na redução de empregos diretos (mão de obra), como indiretas. Enfim, o Governo está colhendo os frutos podres dos gastos desenfreados dos últimos anos. Colhendo também, o amargo resultado dos intensos desvios, fraudes e corrupção. Lamentável. 

LEIA MAIS NO BLOG! CLIQUE AQUI!

11 set

Comentários desativados em O possível impeachment da presidente Dilma

O possível impeachment da presidente Dilma

Na manhã da última quinta-feira, dia 10/09, foi criado um abaixo via internet com o objetivo de pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Tal abaixo assinado atingiu meio milhão de assinaturas hoje por volta das 19 horas, ou seja cerca de um dia e meio depois de criado. Os organizadores do projeto são congressistas do partido Democratas (DEM).

Jornalistas e outros congressistas questionaram a legitimidade da petição, em resposta o DEM afirmou que os responsáveis pelo controle é o site no qual o abaixo assinado está cadastrado, charge.org. O diretor do site no brasil, Pedro Prata, afirmou que há um mínimo risco de existir dupla assinatura, porém, essas são excluídas automaticamente. 

O mais contraditório nisso tudo é que alguns deputados, senadores e até ministros petistas declararam que é realmente provável que ocorra o impeachment da presidente ainda neste ano de 2015, caso Dilma não renuncie. O clima do Partido dos Trabalhadores (PT) e dos aliados do governo é de abatimento, agravado principalmente pelo alto nível de rejeição da presidente da república. 

Clicando aqui, você pode acessar o link para abaixo assinado que está disponível para assinatura. A próxima meta dos organizadores é um milhão de assinaturas. Estaríamos prestes a assistir mais um momento marcante na história do Brasil, amigos?

LEIA MAIS NO BLOG! CLIQUE AQUI!

03 set

Comentários desativados em Novo logotipo da Google

Novo logotipo da Google

A Google anuncia mais uma novidade: um novo logotipo. De forma geral, o logo continua limpo e de certa forma, singelo. A principal mudança nas letras é que estão sem serifas (pequenos traços no fim das hastes das letras). Em 17 anos de existência, a Google mudou seu logo apenas seis vezes. A última mudança tinha sido em 2013.

Numa postagem oficial, a empresa disse que a ideia da mudança é se adaptar aos novos tempos. Na época em que foi fundada, a Google pensava apenas no computador como canal de acesso. Agora, precisou se modernizar, então o logo foi pensado para se adaptar aos vários instrumentos tecnológicos, como os smartphones, tablets, notebooks e os próprios computadores.

A mudança é muito discreta. E quem reparar, verá que o último “e” continua inclinado, apontando ligeiramente para cima. Apontando para o céu, o único limite que a empresa aceita, por enquanto.

LEIA MAIS NO BLOG! CLIQUE AQUI!

29 ago

Comentários desativados em Os alimentos mais prejudiciais à saúde

Os alimentos mais prejudiciais à saúde

O Sorvete está no topo da lista, pois possui elevados níveis de açúcar e gorduras trans e corantes artificiais. Alguns desses corantes aromatizantes possuem neurotoxinas. 

“Uma bomba química” é como podemos definir os salgadinhos de milho. São responsáveis por causar alterações da glicemia (nível de açúcar no sangue) o que pode acarretar em risco de diabetes, acúmulo de gordura corporal, irritabilidade, entre outras alterações.

Uma dica: se for comer pizza, pelo menos que não seja congelada (alimentos de micro ondas). Os alimentos congelados possuem elevados níveis de condicionadores e conservantes. A massa da pizza é absorvida pelo corpo humano e transformada totalmente em açúcar puro de forma imediata, o que pode causar também, o risco de diabetes, acúmulo de gordura corporal e suas consequências. 

Para fritar as batatas, é necessário óleo, o qual sofre alteração na presença de oxigênio e em altas temperaturas. O que o torna prejudicial à saúde, principalmente cardiovascular. A batata frita possui uma das mais potentes substâncias com potencial para gerar câncer que se pode existir em alimentos, a desconhecida acrilamida. Essa substância é resultante do elevado aquecimento da temperatura da batata (branca), ou seja, a fritura.

O consumo frequente de bacon pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e o risco de diabetes em 19%. Um estudo de uma renomada universidade americana, adiciona ainda mais problemas ao consumo do bacon: comer com frequência pode acarretar em problemas pulmonares.

Um copo de refrigerante possui em média, sete colheres de açúcar, o que o torna uma bebida extremamente prejudicial à saúde. O pH do refrigerante é muito ácido, o que significa que o corpo humano sofre grandes alterações hidroeletrolíticas. Existem também, nos refrigerantes, substâncias com potencial para causar câncer (clique aqui para ler o texto que falo sobre essa substância), muitos conservantes e corantes artificiais. Para explicar melhor, isso significa que a cada copo de refrigerante ingerido, é preciso tomar trinta copos de água para iniciar a normalizar os níveis de eletrólitos do corpo.

31 jul

Comentários desativados em Diet, Light e Zero, qual a diferença?

Diet, Light e Zero, qual a diferença?

O produto Diet é elaborado com modificações especiais para se adequar a diferentes dietas ou pessoas com suas necessidades específicas. Possui inserção de açúcar, proteína ou gorduras. É indicado para indivíduos diabéticos, Porém, atenção, alguns alimentos Diet, podem ter mais calorias do que os alimentos que possuem açúcar.

Um produto é considerado Light quando apresenta redução de, pelo menos, 25% das calorias em comparação com o original. Essas redução pode ser em gorduras, açúcares ou sódio. É indicado para quem deseja reduzir o teor de algum desses componentes. Mas cuidado, nem todo alimento Light é indicado para perda de peso, pois a redução calórica em alguns alimentos é insignificativa.

Já o produto Zero indica restrição ou inserção de algum nutriente em comparação com a versão tradicional (exemplo: “Zero Açúcar”, “Zero Carboidratos”). Se a inserção for de açúcar, o produto mesmo assim precisa apresentar valor calórico reduzido. A indicação é similar aos alimentos Light, de modo geral.
O importante é se manter atento às Tabelas Nutricionais, localizadas nos rótulos dos produtos. Nessas tabelas são encontradas informações sobre a composição do produto. É um direito do consumidor e um dever das empresas. Aliado a isso é importante ressaltar também, sobre a data de validade dos produtos.

01 jul

Comentários desativados em #2 Cafezinho com Lucas Malta

#2 Cafezinho com Lucas Malta

Para iniciar, Lucas, apresente-se e conte-nos um pouco sobre sua escolha pelo Jornalismo.

Bom, sou um santanense que adora sua terrinha, mas tive que sair dela pra buscar minha realização profissional. Atualmente estou cursando o 5º período de jornalismo em Maceió, me aperfeiçoando cada vez mais em todas as áreas da comunicação. Posso afirmar que o interesse pelo jornalismo veio a partir da criação do site e pelo gosto de escrever. Conhecer e contar histórias é algo fascinante. Me considero uma pessoa “louca” por conhecimento e informação, vendo no jornalismo a melhor forma de alcançar isso.

Como surgiu a ideia de criar o site Alagoas na Net?

Sinceramente, o Alagoas na Net não foi uma ideia minha. Posso dizer que fui gostando e o adotei definitivamente. Meu pai foi o criador inicial da proposta, junto com outros companheiros. Eu acabei entrando de “penetra” e tomei gosto pela coisa. Até hoje ele continua me guiando, e sempre orientando no conteúdo e debates a serem abordados pelo site. O portal também é composto de colaboradores que ajudam nos conteúdo, como você por exemplo. Ah… e quase esquecendo, a ideia do veículo foi e ainda é de levar um conteúdo de qualidade para os santanenses, sertanejos, alagoanos e qualquer outro que se interesse pelos assuntos da região.

O seu “Editorial de Domingo” tem sido bem polêmico, como jornalista você se considera um formador de opinião?

Desde que comecei a conhecer mais o curso, senti a necessidade de levar para o Alagoas na Net um texto de maior qualidade, não apenas informação como qualquer um passa. Daí, um dia comecei a escrever sem compromisso e surgiu o primeiro editorial. Esses textos trazem uma reflexão sobre assuntos de interesse da comunidade local e que merecessem um olhar mais especial, de análise, e não só da reprodução dos fatos, pelos fatos. Se eu levar em consideração o meu tempo na comunicação, eu me sinto muito “verde”, para ser chamado de formador de opinião. Contudo, reconheço que nessa profissão, acaba sendo impossível se dissociar dessa ideia, pois o comunicador ele tem a função e responsabilidade de trabalhar melhor a informação, passando de maneira correta e responsável. As pessoas confiam naquilo que a gente informa e daí podem, ou não, tomar como referência. Pensando assim, me acho um formador de opinião, e bate ainda mais a responsabilidade de escrever com respeito ao meu público. Independente do texto ser opinativo ou informativo.

Qual o limite estabelecido no site para sua opinião pessoal nas matérias?

Nenhuma matéria do site tem a minha opinião. O único espaço de opinião é o Editorial e os artigos dos colaboradores, pois eles têm esse fim. O que as matérias podem carregar é um pouco das coisas que pauto como essenciais. Toda matéria ou reportagem ela carrega o objetivo da redação do veículo, assuntos que achamos por ser necessário. Isso me faz lembrar de uma das primeiras coisas que aprendi na faculdade, onde todos os meus professores dizem de uma boca só: nenhum veiculo pode ser imparcial, isso porque uma matéria para ser elaborada sempre leva consigo uma posição e objetivo, ou seja, uma tendência. Contudo, acredito que os veículos devem ser justos, o que no caso é dar voz aos “dois lados”. Se você faz uma denúncia, que conceda o mesmo peso para o outro lado acusado, não dando brecha a um conteúdo perseguidor. Fazendo isso ele estará cumprindo corretamente o seu papel. Resumindo, aprendi que a matéria ou reportagem não pode estar carregada de opinião, já um artigo, coluna ou editorial sim.

Qual notícia mais inusitada você se lembra ter postado no site?

Rapaz, como o online é um veículo com uma grande quantidade de matérias e reportagens, realmente não lembro da mais inusitada, mas posso dizer aqui de uma nesse estilo, que foi o achado de uma cobra dentro do motor de um carro numa oficina de Santana. Foi um tremendo susto para os mecânicos e foi a atração do bairro até a chegada dos bombeiros.

Para finalizar, quero que deixe suas conclusões e algumas palavras para os leitores.

Bom, agradeço ao amigo Erickson Soares pela boa conversa e pela intensa colaboração ao portal. A participação de conterrâneos como você, e outros é um dos motivos que levam a equipe do Alagoas na Net a fazer o que fazemos. Sabemos da responsabilidade que temos na disseminação de bons conteúdos, por isso, nos renovamos a cada dia da tarefa de levar a qualidade que o leitor merece. Vamos em frente.

CLIQUE AQUI E CONTINUE LENDO O BLOG!

16 jun

Comentários desativados em #1 Cafezinho com Darlison Pontes

#1 Cafezinho com Darlison Pontes

Para iniciar, Darlison, apresente-se e conte-nos um pouco sobre sua escolha pela Economia.
Darlison Pontes, 25 anos, natural do Ceará, graduando em Economia pela  Universidade Federal de Alagoas, Campus do Sertão, Unidade acadêmica de Santana do  Ipanema, Diretor de Comunicação do Centro Acadêmico de Economia – CAECO e Gestor Financeiro da Secretaria de Educação de Santana do Ipanema.
Escolher cursar economia foi uma decisão simples, apesar da gama de cursos existentes espalhados pelos diversos centros de ensino brasileiros. O amor pelo cálculo e acima de tudo a busca por alternativas de melhorias socioeconômicas para a população me fizeram optar pelo curso. Ajudar a erradicar a pobreza, diminuir a desigualdade social, aumentar a expectativa de vida da população, entre outros fatores são os anseios de quem deseja contribuir com a sociedade, e assim me incluo. Por mais que seja um curso que ainda esteja ganhando espaço em todas as esferas, a economia sempre se mostrou ser fundamental.
É evidente que o Brasil tem apresentado índices negativos sobre seu crescimento  econômico e isso tem desgastado a população. Pergunto, é possível enxergar uma solução ou isso ainda está além do horizonte? 
Na verdade eu não enxergo índices negativos, o que vejo são crescimentos reduzidos em comparação com outros períodos. O Produto Interno Bruto – PIB brasileiro, por exemplo, nesses últimos anos não foi negativo, porém a cada ano o PIB vem apresentando uma redução, deixando claro assim que não se pode descartar uma recessão. É evidente que a economia vem apresentando baixo crescimento, onde você tem uma redução do consumo por parte da população nos últimos tempos que se ver em um cenário de incertas econômicas, uma redução da produção industrial, uma redução das exportações e uma dependência cada vez maior das importações que afetam a balança comercial, você tem uma taxa Selic abusiva que afeta os investimentos e acima de tudo a dívida pública e vários outros fatores que de certa forma tem desgastado a população porque a mesma começou a se engajar mais em assuntos socioeconômicos.
É possível sim enxergar uma solução, contudo 2015 será um ano em que a economia brasileira se manterá estagnada, onde o Brasil terá um “PIB flat”, ou seja, próximo de zero. As políticas contracionistas como redução dos gastos do governo atrelada ao aumento dos tributos, exclusão dos subsídios à indústria e ao setor elétrico, são uma solução que já esta em vigor. O valor dos repasses do governo para os estados e logo para os municípios reduziram em grande escala forçando assim aos governantes reajustar os recursos recebidos ao seu orçamento.
Mediante as últimas decisões do Palácio do Planalto sobre apertar os cintos e economizar onde for possível, pode-se afirmar que há um certo “desespero” ou o governo está se preparando para o pior?
 
O que eu enxergo é que o governo quer contornar um erro que foi eminente nesses últimos quatro anos do Governo Dilma Rousseff, que foi a questão dos gastos públicos e da corrupção. Não vejo como um desespero e sim como uma precaução para que economia não ande mais ainda para trás. O setor público brasileiro no ano de 2014 apresentou um grande rombo financeiro que acabou inviabilizando atingir a meta do superávit no ano. Uma vez que a nação apresenta um aumento dos gastos públicos como aconteceu em 2014 sem que ocorra concomitantemente a elevação da arrecadação, o país acaba que ficando numa encruzilhada sem que possa assim fechar suas contas. A decisão de apertar os cintos e economizar reafirmo que é uma precaução e uma medida claro, que visa o crescimento da economia brasileira.
Quais medidas são cruciais para que o desenvolvimento do país não estagne ou regrida?
A estagnação já é evidente e esperada por vários economistas. Os principais bancos já falam em uma redução de suas projeções para com o crescimento econômico de 2015, assim como, economistas de instituições financeiras que defendem o crescimento nulo do Brasil. O que coloco aqui em questão e que me assusta é uma possível estagflação brasileira como ocorreu décadas atrás e não uma estagnação. Resumindo, a estagflação é caracterizada pela redução da atividade econômica aliada ao aumento do desemprego e da inflação. É um processo raro e difícil de se acontecer, mas em nenhum momento descartarei o Brasil chegar a esse ponto, apesar de Tombini defender que o Brasil está
longe dessa realidade. O crescimento do Brasil esse ano será nulo e as políticas adotadas pelo governo objetivando o equilíbrio das contas, a redução da dividida pública, o superávit primário e etc, estão sendo fundamentais apesar de estarem causando grandes repercussões negativas pelo momento negativo em que se encontra principalmente a política nacional.
O país está em crise econômica? Qual a perspectiva para uma solução?
Eu enxergo mais uma crise política do que necessariamente uma crise econômica, apesar de sim existir uma desaceleração no ritmo de empregos formais no Brasil e os governantes junto com o Banco Central defenderem que o Brasil esta com menor nível de desemprego de todos os tempos, de existir uma queda da produção industrial, redução da oferta de crédito, redução do consumo, redução do investimento, eu enxergo que o Brasil não vive necessariamente uma crise econômica como ocorreu em 2008, por exemplo, apesar desta de ter características globais. O Brasil está em processo de transição e sofrendo com suas políticas fiscais mal elaboradas. A perspectiva é que essa transição se prolongue até 2016 e que a crise econômica não seja necessariamente uma crise e que as atuais políticas em correção as políticas adotadas no período 2010-2014 possam ser revertidas e se transforme em crescimento e desenvolvimento acima de tudo.
Para finalizar, quero que deixe suas conclusões e algumas palavras para os leitores.
O momento atual do Brasil é de dificuldades, onde você encontra de um lado uma economia frágil e diminuta e do outro lado você encontra o setor político em crise, manchado pela corrupção e pelas desavenças no planalto. Esse é o retrato do Brasil atual, a base sólida defendida pelo nossa presidenta, não existe, e se existe não esta evidente. Para que o Brasil volte a trilhar o caminho do crescimento e do desenvolvimento muita coisa tem que se mudar e quando falo de mudanças estou falando da conjuntura. Por fim saliento que algumas medidas micro e macroeconômicas tomadas nos quatro anos do governo Dilma foram errôneas e todas as medidas que estão sendo tomadas atualmente é uma correção de um erro que vem custando caro para o brasileiro. No mais quero deixar um grande abraço a todos os leitores e que vocês possam acompanhar sempre os fatos econômicos do Brasil, porque uma população com conhecimento é capaz de mudar uma sociedade.

08 jun

Comentários desativados em Manga com leite mata?

Manga com leite mata?

Essa é uma das maiores superstições nacionais. Seus avós provavelmente foram muito ameaçados por causa dessa superstição. Mas quem inventou essa mentira?

Os donos de escravos no Brasil. Durante o regime de escravidão no Brasil, os escravos faziam trabalhos muito pesados durante o dia. Como eles eram mal alimentos (quando eram alimentados) eles acabavam comendo mangas e roubando leite para se alimentarem.
Os senhores de engenho para conter o roubo de leite, que era um alimento exclusivo dos nobres, inventaram que a combinação entre manga e leite podia ser fatal. A lenda continua até hoje.
Na verdade a combinação entre os dois faz é bem para a saúde. A manga têm grandes quantidades de vitamina C, fósforo, ferro, cálcio, lipídios e proteína. Já o leite é rico em proteína, cálcio, vitaminas A e D, riboflavina, fósforo e magnésio. Uma grande dose de vitaminas e sais minerais é o que se ganha com essa mistura.
fatos desconhecidos

01 jun

Comentários desativados em Rios e reservatórios secos

Rios e reservatórios secos

À baixo, reproduzo o email que recebi da amiga Cristiane Mazzetti do GreenPeace e junto ao texto, posto também o vídeo feito pela sua equipe.

 Olá Erickson,

 Participei de uma expedição no final de março que rodou 1.000 km para registrar o nível da água e desmatamento em 3 reservatórios que abastecem as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 Pisei em muito chão craquelado e vi muitos rios e reservatórios secos no final da estação chuvosa. Floresta era algo raro, em volta dos rios vi muito pasto, plantio de eucalipto e áreas degradadas. Elas deveriam exibir matas exuberantes e cheias de vida.

 Ficou ainda mais claro que, sem floresta, não tem água. Para que vocês possam conferir e sentir o que passamos nessa expedição preparamos uma série de três vídeos.

A crise hídrica prova que estamos começando a pagar a conta por desmatar por tanto tempo as florestas do Sudeste. O desmatamento tem que acabar e você pode fazer parte dessa mudança que trará benefícios para todos nós.

Muito obrigada,

Cristiane Mazzetti -Greenpeace Brasil