Adriano Soares confirma saída da Educação; adjunta assume a pasta

12 jul 2013 - 10:19

Foto: Assessoria

Foto: Assessoria

Após um longo período a frente da Secretaria de Estado da Educação, o advogado Adriano Soares deixa o cargo. A informação foi confirmada pelo próprio advogado agora a pouco em sua página pessoal na rede social. A Secretaria será comandada agora, pelo menos de forma interina, pela adjunta Josicleide Moura, mantendo o controle do senador Benedito de Lira na pasta.

Segundo Adriano Soares, a decisão foi tomada ontem. “Já vinha cansado, pelos inúmeros embates travados nesses últimos dois anos. Mudar a educação, enfrentar feudos, mudar o foco para a gestão, conviver com uma histórica falta de estrutura… Tudo isso vinha me desgastando e sendo muito custoso pessoalmente. Afetou até a minha família”, colocou.

No texto, Soares afirma que ontem, “depois da história do vídeo, ponderei que preciso da minha vida de volta. Cansei da vida pública. Estou farto de defender a tantos e do silêncio pouco solidário de alguns. Quem conhece o trabalho que foi feito nesses dois anos sabe que a educação está mudando e muito”.

Adriano Soares ainda confirmou que ontem à noite esteve reunido com o governador Teotonio Vilela Filho e entregou o cargo de modo irrevogável. “Tivemos uma longa conversa, expus meus motivos e posso novamente voltar à minha vida, à advocacia e aos meus livros, além de recompor a minha família”.

O antigo secretário finalizou dizendo que “aos que têm apego a cargos públicos poderão estranhar a minha decisão. Nunca me aprendi a eles. Meu espírito sempre foi livre. Deixo um abraço carinhoso a todos que contribuíram para mudarmos a educação. E não foram poucos.Que Deus nos ilumine a todos”.

O estopim de Adriano Soares

A decisão de Adriano Soares foi tomada após a repercussão negativa de um comentário postado em sua conta pessoal numa rede social, na tarde de quinta-feira (11), sobre os protestos realizados em Maceió e que mobilizou várias entidades sindicais. O secretário publicou uma música contendo palavras de baixo calão, dedicando o repertório aos manifestantes.

Soares classificou os protestantes como “turma bancada pelo Governo Federal: UNE, CUT e MST, e disse que todos estavam recebendo lanche e dinheiro para levantar a “bandeira vermelha dessa turma”. Em pouco tempo, a colocação do secretário foi criticada pelos internautas, que pediam uma postura à altura do cargo que ocupa.

A publicação foi excluída e uma mensagem com pedido de desculpa foi postada. Nela, Soares explica que “Não é uma postura que se espera de um homem público, ainda mais ocupando o cargo de Secretário de Estado da Educação, mesmo sendo em minha página pessoal no Facebook. Por essa razão, peço desculpas a todos que me dão a honra de me seguir aqui”.

No final o secretário pede desculpa. “Mais uma vez, então, peço desculpas aos meus seguidores aqui, porque a crítica que fiz às “manifestações” da CUT e cia foi além do tom e dos limites do razoável”.

Horas depois, Soares ainda completou sua postagem e deu a entender que a sua saída da pasta da Educação era algo certo. “Me aborreci muito hoje com o Facebook. Por conta de uma postagem tola, que foi logo apagada, ver gente transformando isso numa questão relevante. Estou realmente cansado. Quero a minha vida de volta. Já travei embates demais pela Educação de Alagoas. Vou me desfazer dessa conta de Facebook e nas redes sociais. E já tomei outras decisões hoje”.

Do Cada Minuto

Comentários